Livre demanda – o que é e seus benefícios

Livre demanda – o que é e seus benefícios


28 de maio de 2015

Quando o Leo nasceu, eu, muito inocentemente, achei que o melhor para ele seria eu “acostumá-lo” a mamar de 3 em 3 horas. Nos livros que li para me preparar para a maternidade, eu sempre encontrava a informação de que isso era o ideal, pois esse era um intervalo adequado para as crianças, que sentiriam fome nesse tempo e, assim, fariam “refeições” em vez de “lanches” e que também garantiria mais “tranquilidade” para as mamães (que poderiam ter suas rotinas mais organizadinhas).

Ao ouvir as explicações dos livros, achei que fazia sentido, mas na prática, não funcionou. Não pelo menos para mim e para o meu primeiro filho. Para mim, acho que a as mamadas a cada 3 horas atrapalharam a amamentação, essa é a verdade. Como o Leo tinha dificuldades para mamar (aplv, refluxo, etc…) cada vez que ele mamava, ele mamava pouco, e aí acabava estimulando  também pouco a produção de leite, o que nos fez ter que usar complemento durante todo o tempo.

Livre demanda
Photo Credit: fikirbaz via Compfight cc

E foi assim que, então, com o Caê eu resolvi fazer diferente e optei pela livre demanda, que é estimulada pelas Sociedades Americana e Brasileira de Pediatria. Mas afinal, no que consiste a livre demanda, como ela funciona, quais são os seus benefícios (físicos e emocionais) e o que algumas pessoas tem a dizer contra ela? Vale a pena dar uma lida, se informar, e decidir se ela se encaixa no seu estilo de maternagem. Por aqui, funcionou superbem.

Vamos começar então pelo conceito em si. A amamentação por livre demanda está explicada pelo próprio nome: significa que o bebê vai mamar na hora que ele sentir fome e vontade, sem horários determinados, e que vai mamar até se sentir satisfeito, o que pode ser por bastante ou pouco tempo. Isso vai depender tanto do ritmo do seu bebê quanto da quantidade de leite que você produz em cada mama, além, claro, do tamanho da fome naquele momento.

Os médicos recomendam este método em vez dos horários regrados, pois isso traz alguns benefícios muito importantes para o desenvolvimento do bebê e para o bem-estar da mãe. Por exemplo, as crianças perdem menos peso depois que nascem quando são alimentadas por livre demanda. E isso ensina a criança desde cedo a regular a ingestão de alimentos conforme a sua fome, o que é superimportante na prevenção da obesidade no futuro.

Isso significa que sempre que seu bebê chorar você vai precisar dar de mamar? Então, não é bem assim. Claro que quando o bebê nasce é difícil identificar por que ele chora e, se isso é mais difícil para as mães de primeira viagem, acredite, não é facílimo depois do segundo filho não. Isso pois cada criança é diferente e mãe e filho precisam se conhecer para se entenderem. Vai chegar uma hora que você vai saber se o choro é de fome, de frio, de sono. Além disso, antes de chorar de fome, o bebê dá outros sinais, como fazer a sucção com os lábios, colocar a linguinha para fora e mesmo procuram pelo seu seio se estiverem no colo.

Aí entra mais um benefício da livre demanda: ela estimula mais intensamente o vínculo entre mãe e bebê. Dar o peito, além de alimentar, fornece segurança, carinho, intimidade e prazer tanto para a mãe quanto para o bebê.

Uma outra dúvida muito comum é sobre quanto tempo o bebê pode ficar sem mamar. Em tese pode ficar quanto tempo quiser. Isso significa que, se o seu bebê estiver com a saúde normal e ganhando peso e altura normalmente, você não precisa acordá-lo de noite também e pode deixa-lo dormir até que desperte naturalmente.

Para quem usa fórmulas ou complementos ao aleitamento, a livre demanda pode não ser a melhor opção por conta dos outros “leites” serem mais difíceis de digerir. Vale conversar com o pediatra sobre isso. Outro ponto criticado é que a mãe e o bebê ficariam muito dependentes um do outro, o que poderia atrapalhar a mãe, mas essa é uma questão que eu acho que só você, como mãe e mulher, na sua individualidade, vai poder decidir. Se algo for muito desconfortável e inadequado para você e outro método se encaixar bem, é melhor tanto para você quanto para seu bebê que vocês estejam tranquilos e felizes.

Por aqui, estou achando a livre demanda ótima. Caê não é um bebê que mama de hora em hora e seus intervalos são bem grandes até (em torno de 2,5 a 3h). É claro que à noite os intervalos também são esses, o que é um pouco cansativo, mas faz parte. Acho legal a livre demanda porque sinto segurança de que não deixo meu filho com fome. Quando ele quer mamar, eu dou. Sem essa de enrolar mais uns minutinhos para completar três horas. Além do mais, deixar o bebê mamar quando ele quer faz com que a produção de leite seja estimulada, o que é ótimo.