10 Razões porque eu amo ser uma mãe mais nova | Macetes de Mãe

10 Razões porque eu amo ser uma mãe mais nova


8 de janeiro de 2019

É muito comum nos estruturarmos cada vez mais antes de pensar em ter um filho. Mas existem também as vantagens de ser uma mãe jovem. E é disso que fala o texto abaixo, a linda e empolgante experiência de uma mãe de 22 anos, que conta as vantagens dessa idade para se ter um filho. Leia e se surpreenda.

Mais uma tradução livre, extraída do site Babble.

10 Razões Porque Eu Amo Ser Uma Mãe Mais Nova

Por Michelle Horton

Pode não haver uma “melhor” idade para se ter um bebê, mas sendo uma mulher grávida, solteira, com um diploma universitário recém-impresso e sem emprego, eu tinha certeza de que ser uma mãe mais nova, aos 22 anos, não era a melhor idade para mim.

Com uma pequena ajuda da cultura ao meu redor, eu estava convencida de que nunca seria bem-sucedida, nunca teria dinheiro e nunca teria um relacionamento duradouro com meu então namorado (agora marido). Tudo o que eu sempre imaginei para mim foi desvanecendo-se em silêncio, deixando-me sozinha, com medo, sem absolutamente nenhuma certeza na vida.

Exceto pelo fato de que eu tinha um filho crescendo no meu corpo.

No entanto, agora, olhando para trás, percebo o quão perfeito o timing realmente foi. Isso me ensinou mais sobre mim mesmo, sobre a vida, do que eu jamais pensei que precisava saber – e também me fez perceber que tornar-se uma mãe, em qualquer idade, vem com vantagens positivas.

Aqui estão 10 razões pelas quais eu amo ser uma mãe mais jovem:

1. Menos ajuste de estilo de vida

Eu não estava acostumada a uma certa quantia de renda extraordinária, férias ou qualquer semelhança com o tempo “pra mim”. Eu deixei de ser uma estudante universitária falida para uma estagiária falida e não remunerada e para uma funcionária grávida de nível básico – então não havia uma rotina definida ou expectativas estabelecidas. Eu me tornei uma mãe, uma esposa e uma adulta de uma única vez – e, embora isso certamente venha com seus desafios, pelo menos eu não tive que mudar de marcha ou diminuir de forma alguma.

Tudo progride daqui.

2. Fertilidade

Este é provavelmente o mais falado agora, com especialistas e agências de notícias debatendo as realidades biológicas de nossa fertilidade. A luta da infertilidade é muito real para muitas mulheres hoje – que, a propósito, inclui infertilidade secundária. Eu tenho muita sorte de não ter um relógio biológico no meu ouvido, ditando o tamanho da minha família. Com a fertilidade vem menos riscos, menos estresse e, finalmente, mais bebês.

Podemos sempre ganhar mais dinheiro, seguir novas carreiras e avançar com metas – mas não podemos reverter magicamente a nossa fertilidade.

3. Menos Pressão

Minha amiga de 29 anos confessou recentemente que tem todas as coisas que “supostamente” deve ter – uma educação de prestígio, uma carreira de alto poder aquisitivo, muitas viagens em sua bagagem -, mas trocaria tudo em um piscar de olhos por uma família. É tão fácil sentir inveja do sucesso percebido de outras pessoas, mas estou muito agradecida por essa falta de pressão.

4. Ninho Vazio Mais Cedo

Eu terei 40 quando meu filho for para a faculdade – o que deixa muita vida para férias tropicais e preguiçosas manhãs de sábado.

5. Netos, Avós

Não só meus pais estão felizmente por conhecerem e amarem meu filho, mas espero estar por perto para conhecer e amar meus netos.

6. Meu Corpo

Além do fato de que a gravidez e o trabalho de parto eram bastante fáceis para o meu corpo (uma jovem de 22 anos está biológica e fisicamente no auge), sou muito grata pelo novo relacionamento que tenho com meu corpo. Passei anos desafiando meu corpo com comidas nada saudáveis e emoções incontroláveis, mas foi preciso gravidez e trabalho para finalmente entender e respeitar meu corpo. Pela primeira vez que consegui me lembrar, eu finalmente estava sintonizada comigo mesmo – e isso foi uma mudança em minha vida.

Estou muito agradecida por ter tido essa experiência mais cedo, como uma mãe mais jovem, do que mais tarde.

7. Ter um Propósito

Eu sempre penso: “Eu teria crescido assim, se eu não tivesse uma razão para crescer?” Eu sei que os 20 e poucos anos são para “encontrar a si mesmo”, mas nada lhe dará mais propósito do que o espelho que as crianças enxergam.

8. Meu caminho de carreira

Agora, isso está um pouco em desacordo com o modo comum de pensar, mas alguns especialistas em carreira estão começando a repensar a mentalidade de “ter tudo” – percebendo que talvez seja inteligente ter filhos no começo de sua carreira, em vez de parar o progresso a meio.

Sem mencionar que a maternidade pode muitas vezes causar uma mudança em nossas prioridades. E um desejo de fazer algo mais – algo diferente – do que jamais pensamos em fazer. Por que não fazer isso no começo de sua carreira e ser uma mãe mais nova?

9. Mais energia

Somos uma família boba – o que significa festas de dança, caça de vaga-lumes, corridas nos playgrounds. Tenho certeza de que há muitos jovens de 40 e poucos anos com energia jovem. Mas é uma queixa bastante comum. “Você tem sorte de ter tanta energia”, eles me dizem. E sei que é verdade como uma mãe mais nova.

10. Mais tempo

Todas as coisas sendo iguais, ter um bebê com 22 anos, ao invés de 32, significa que eu tenho mais 10 anos como mãe. Uma década extra de amor e crescimento – uma década extra de união. E posso dizer sem hesitação que, no final da minha vida, não anseio por mais viagens ou mais dinheiro. Enfim, eu simplesmente quero mais tempo e agradeço pelo que eu tenho.