7 dicas para fazer seu filho perder o medo de dentista | Macetes de Mãe

medo de dentista

7 dicas para fazer seu filho perder o medo de dentista


12 de setembro de 2019

Seu filho tem medo de dentista? Se você achava ser quase impossível levá-lo ao dentista, fique tranquilo, seus problemas acabaram! rs Hoje vou compartilhar algumas dicas que recebi de uma assessoria de imprensa e adorei! São dicas para fazer a criança perder o medo de dentista.

Quando se trata de criança, sabemos que nem todo mundo consegue fazer uma visita feliz ao dentista. É só lembrar da nossa infância. Quem ia ao dentista feliz e saltitante? Ninguém que eu conheça.

A visita ao dentista precisa ser feita pelo menos a cada 6 meses. E para ajudar os pequenos a encararem a situação com tranquilidade, confira o que pode ser feito para superar esse desafio.

7 dicas para fazer seu filho perder o medo de dentista

1 – Deixe clara a importância de uma boa saúde bucal

Como diz o ditado, é melhor prevenir do que remediar. Por isso, comece a instruir a criança em relação aos cuidados que precisa ter com a saúde dos seus dentes, o que faz com que ela aprenda sobre o assunto desde quando é bem pequena e, de quebra, ajuda a evitar o surgimento de problemas odontológicos.

Diga a ela que a visita ao dentista não é uma escolha, mas sim uma necessidade, e que o profissional é responsável por deixar seus dentes fortes e saudáveis para que ela consiga comer direitinho. Também vale a pena dizer que ele vai cuidar dos pacientes para que seu sorriso continue lindo por muitos anos.

2 – Procure um odontopediatra

Assim como o profissional indicado para cuidar da saúde das crianças é o pediatra, o mesmo se aplica à saúde dos dentes. Procurar por um odontopediatra pode ajudar a deixar este momento o mais tranquilo possível.

Tudo é pensado para um atendimento especial aos pequenos, desde as pinturas na parede até os bonecos e brinquedos no ambiente, o uniforme dos dentistas e os acessórios utilizados.

Ao se deparar com um ambiente familiar e agradável, a criança ficará bem mais calma e alegre, o que ajuda a mandar o medo e o nervosismo embora.

3 – Comece desde cedo

Quanto antes ocorrer a primeira visita ao dentista, melhor. Isso fará com que a criança relacione a clínica ou consultório ao lugar que terá que ir caso precise de algo com a saúde de seus dentes. De acordo com especialistas, a primeira consulta ao dentista deve ser feita até 1 ano de idade ou quando o primeiro dente aparecer.

Assim, o pequeno já se acostuma à rotina de visitar o dentista, o que o ajuda a ficar menos nervoso. Além de ser possível encontrar potenciais problemas antes que eles se agravem e fiquem mais dolorosos (e caros) para resolver.

4 – Faça uma consulta de brincadeira

Brincar é essencial para o desenvolvimento cognitivo, mental e social das crianças, além de ser super divertido, que é o que realmente importa para elas. Os pais podem entrar nessa onda e fazer uma consulta de brincadeira ao dentista.

Pegue uma escova de dentes e sente-se para brincar com seu filho. Então, conte os dentes do pequeno começando pelo número “1” ou pela letra “A” para que ele entenda melhor o que está acontecendo.

Você também pode pegar um espelho e deixar a criança ver a contagem dos dentes. Em seguida, deixe-a brincar com a escova enquanto limpa os dentes de bonecos de pelúcia ou brinquedos. Evite fazer barulhos de motor ou mostrar outros acessórios que possam assustar.

5 – Cuidado com as palavras

Pode ser que os pais usem palavras que assustem as crianças, mesmo que não façam isso por mal. Motorzinho, anestesia e cárie são termos naturais para os adultos, mas que os pequenos não sabem o que é e podem reagir negativamente.

Por isso, o ideal é deixar que a equipe de odontopediatras faça esse contato com as crianças, já que sua linguagem é totalmente voltada ao público infantil, ou seja, as informações serão melhor assimiladas e não causarão tanto susto quanto termos adultos.

Para ajudar e já entrar no ritmo, vale a pena que os pais digam às crianças que o dentista procurará por “bichinhos do açúcar” para deixar os dentes limpos, fortes e saudáveis, por exemplo. Com a dose certa de lúdico, a experiência será bem melhor.

6 – Não fale sobre os seus medos

É normal que adultos tenham medo ou ao menos um desconforto em relação aos dentistas, seja por experiências passadas ou mesmo por não terem sido introduzido a eles da maneira ideal quando eram menores, o que pode deixar sequelas mesmo depois do crescimento.

É essencial que você deixe esses medos de lado e não fale sobre o assunto para a crianças, já que elas podem acompanhar o sentimento e ficar ainda mais assustadas. Chegar a um consultório colorido, divertido e agradável acalma tanto os pais quanto os pequenos.

7 – Não diga que não vai doer

Essa parte é um pouco difícil, mas muito importante. Não se deve dizer à criança que os procedimentos odontológicos não doem, já que pode ser que ela tenha que fazer uma obturação ou algum outro processo que é naturalmente doloroso, mesmo para os adultos.

A maioria dos check-ups e primeiras visitas ao dentista não trazem qualquer tipo de dor à criança. Logo, não vale a pena abastecê-la com essa carga psicológica que pode nem ser necessária.

Caso tenha que ser feito algo doloroso, o odontopediatra sabe como lidar com a situação e os pais também podem ajudar, como ao dar as mãos aos pequenos ou mesmo segurá-los em seu colo se isso os acalmar, de acordo com as recomendações do profissional.

Fonte: esse post foi produzido com informações enviadas pela assessoria de imprensa. Acredito que colocando essas dicas em prática, é possível ver diferença no comportamento das crianças, tornando a visita ao dentista menos traumática.

CONHEÇA MEU LIVRO: “GRÁVIDA E PRÁTICA – UM GUIA SEM RODEIOS PARA A MÃE DE PRIMEIRA VIAGEM”:

PARA COMPRAR O LIVRO, CLIQUE:

Amazon: https://amzn.to/2S6NI8P
Livraria da Travessa: http://bit.ly/2PMLj10
Venda online com entrega em todo o Brasil