7 Dicas para lidar com as regressões de sono | Macetes de Mãe
regressões de sono

7 Dicas para lidar com as regressões de sono


22 de setembro de 2018

Nos últimos tempos, recebi muitos pedidos para falar aqui no blog sobre regressões de sono do bebê. Você já ouviu falar sobre regressão de sono? Costuma acontecer com muitos bebês. É quando o bebê dorme bem e de repente começa acordar durante a noite sem muita explicação. Eu sei que os ciclos de sono dos pequenos são diferentes do nosso sono. Mas por que acontece e como lidar com as regressões do sono? Para responder essas perguntas, pedi ajuda para a nossa colunista Marcia Horbacio, especialista em sono infantil. Além de responder algumas dúvidas, Marcia compartilha conosco 7 dicas para encarar essa fase. Confira!

Dicas para lidar com as regressões de sono

Muito se fala nas famosas “fases de regressão” no sono dos bebês. Mas há ainda muitas dúvidas sobre o que essas fases são realmente, quando acontecem, o porquê. E, principalmente, o que os pais podem fazer para ajudar os filhos a dormir melhor nesta fase e depois dela.

Hoje vamos dar algumas  dicas de como lidar com esses períodos.

Primeiro, vamos definir o que é regressão no sono. É um período que pode durar de 2-6 semanas em que a criança que estava dormindo bem ou razoavelmente bem, começa a ter despertares noturnos. Também começa a se recusar a dormir de dia. Ou dormir sonecas muito curtas.  E até mesmo a chorar na hora de dormir mais do que o normal. Esse período, coincide com o atingimento de marcos de desenvolvimento como aprender a rolar, engatinhar, andar, etc.

Agora que definimos o que é, também importante é reconhecer quando acontecem. As fases de regressão de sono que atingem as crianças são: aos 3-4 meses, entre 8-10 meses, aos 12 meses, aos 18 meses e aos dois anos de idade. Algumas crianças tem fases de regressão em todas essas faixas etárias. Outras, apenas em algumas e poucas crianças não tem a regressão de sono em nenhuma dessas faixas de idade.

Agora, o que os pais podem fazer para lidar com essas fases já que são inevitáveis para a maioria das crianças?

Leia abaixo as sete melhores dicas para ajudar você a enfrentar essas fases com sabedoria e confiança

Dica 1: aceite!

Se prepare para o que vem por aí. Aquele bebê que passava o dia todo dormindo, agora aos 3-4 meses está adquirindo várias habilidades novas e quer praticá-las mesmo que seja de madrugada! Aquele bebê de 8 meses que não era muito móvel, agora aprendeu que pode se deslocar de um lado ao outro da sala! Aos 12 meses vai mais rápido ainda porque está aprendendo a andar!

Aos 18 ele quer se manifestar, mostrar que tem vontade própria, olha só que delícia! Aos dois anos ele passa por mais mudanças como o desfralde que pode estar vindo por aí. No tempo que consegue ficar acordado,  que é maior agora, enfim, o bebê quer desbravar o mundo! São tantas mudanças! Prepare-se e aceite que seu bebê pode acordar mais porque está se desenvolvendo como deveria. Se você aceita isso, você não será pega de surpresa. E poderá até se planejar para ter mais ajuda em casa da sua família ou amigos.

Dica 2: não crie novos hábitos

Essa dica é muito importante! Não mude nada na forma que coloca seu filho para dormir ou na forma como responde a noite quando ele acorda. Se antes , quando ele raramente tinha despertares noturnos você primeiro fazia aquela checagem para ver se estava tudo bem e ficava então esperando um pouco para ver se ele voltava a dormir, continue fazendo isso. Ofereça conforto mas não crie novas formas de conforto. No dia seguinte, redobre a atenção para ver se há algum dente nascendo, alguma gripe chegando, enfim,  se algo poderia estar causando despertares noturnos com uma dor ou desconforto.

Se não for isso, e ele estiver numa dessas faixas etárias, mantenha a rotina de sono. Não fique “tentando” fazer coisas diferentes que você não fazia antes porque ele irá acabar passando pela fase, e ao invés de voltar a dormir como sempre, terá adquirido uma dependência dessa sua ajuda noturna que naõ tinha antes. E aí, sim, os problemas no sono que eram para durar de 2-6 semanas acabam se mantendo.

Dica 3: dormir mais cedo

Coloque para dormir um pouco mais cedo que de costume. Essa é uma mudança que você pode fazer. A criança que acorda mais à noite nessa fase ou está tendo dificuldades com as sonecas, vai ficar mais cansada e, sendo colocada mais cedo na cama, vai compensar um pouco a falta de sono. Depois que a fase passar, você até pode voltar ao horário normal de dormir.

Dica 4: compartilhe com seu parceiro

Você pode ser aquela mãe que tem um marido que trabalha demais e por muitas horas, então, a noite do bebê é geralmente por sua conta. Mas essas fases de regressão de sono podem ser exaustivas para o bebê e para você também. Então, encontre uma alternativa para ter mais ajuda do seu parceiro. Converse, explique que é temporário, combine turnos à noite, pelo menos nos finais de semana, para que você possa passar pela fase sem ficar exausta. Se o seu bebê não tem o costume de ser atendido por ele à noite, é uma boa oportunidade para os dois aprenderem como fazer isso. Afinal, você não tem só uma fase de regressão de sono, serão várias!  Além disso, tem as noites em que ele pode também precisar de mais suporte porque está doente.

Dica 5: promova atividades para seu bebê

Deixe o seu bebê praticar muito as novas habilidades aprendidas durante o dia. Se você saía com ele uma vez ao dia para a pracinha, agora saia duas vezes. Abra espaço na área de brincar para ele poder ir de um canto ao outro. Convide outras mães para virem à sua casa com seus bebês. Faça exercícios de barriguinha para baixo se ele está aprendendo a rolar, brinque com ele sentada no chão e engatinhe com ele, ande com ele se ele estiver aprendendo a andar. Enfim, faça ele se mover! Deixe que ele pratique bastante o que está aprendendo durante o dia para que, de noite, ele não tenha ânimo para querer acordar e engatinhar no berço!

Dica 6: mantenha o ambiente de sono escuro e tire objetos que podem distrair o bebê

Deixe o quarto escuro. Sei que não é novidade para ninguém que dormimos melhor no escuro, mas por que isso agora é ainda mais importante? Para o bebê ser “lembrado” que é noite e não ter possibilidade também de se distrair olhando para os móveis, brinquedos ou bichinhos no quarto. Se você puder, tire todos os brinquedos da vista dele nesta fase. Ele está acordando mais vezes à noite, então é importante que não tenha nada em volta que o distraia ainda mais.

Dica 7: adote um “amigo do sono”

Se o seu bebê é maior que 12 meses você pode pensar em dar um bichinho ou “amiguinho do sono” para ele se confortar à noite. (Não sou favorável a dar objetos aos bebês antes de 12 meses por causa da recomendação da Associação Americana de Pediatria referente a segurança do berço). No entanto, na fase dos 18 meses, ele pode estar querendo mais ainda a sua companhia, estar acordando à noite procurando ter alguém para “conversar”, então é um bom momento para ir à loja e comprar com ele um amiguinho do sono. Algumas crianças tem o hábito de querer dar a mão aos pais para dormir e você pode comprar um bonequinho de pano, por exemplo, que tenha uma mãozinha para ele segurar.

Nem todas as crianças se importam com as naninhas mas aquelas que gostam de segurar nos pais para dormir, geralmente aceitam um amiguinho do sono com mãozinha, faça uma tentativa, você pode se surpreender!

Agora, você já sabe como lidar com as regressões de sono, mas não espere que seu filho manifeste despertares em todas as faixas, algumas crianças passam com mais suavidade por esses momentos e não mudam a forma de dormir. Vamos torcer para o seu bebê ser assim. Mas se não for, você agora está mais confiante para lidar com isso, não é verdade?

Assista também esse vídeo, no canal MdM, com 5 super dicas para melhorar as sonecas do bebê: