A importância dos avós na infância
A importância dos avós na infância

A importância dos avós na infância


1 de maio de 2018

Quem aí teve a oportunidade de crescer ao lado dos avós? Tanto para os pais quanto para as crianças essa proximidade é muito importante e fundamental para a construção da família. Para os pais, além de poderem conviver mais tempo com as pessoas que lhe deram a vida, eles também podem contar com duas pessoas que só querem o melhor dos seus filhos.

Já as crianças recebem amor e mimos em dobro, pois os avós não medem esforços para fazerem de tudo pelos netinhos.

O post de hoje fala de como é importante para as crianças terem os avós por perto durante a infância e o texto é uma colaboração da Maria Carolina Scaranti do blog Canal Infantil. Confira!

A importância dos avós na infância
Photo Credit: KieraJo Flickr via Compfight cc

Por Maria Carolina Scaranti

Como é bom ser criança! Tudo vira uma brincadeira! E são nas brincadeiras que mais aprendemos sobre a vida e o amor. Brincamos o tempo todo… Com amigos, colegas, pais e também avós! Ah, os avós… Como são importantes! Muitos ficam pouco tempo em nossas vidas, outros ficam bastante, mas ainda é pouco perto do quanto é bom estar com eles! Acho que jamais deveriam ir embora!

Dizem que avós são pais duas vezes e é bem assim mesmo! Na minha infância convivi muito com os meus avós! Não conheci meu avô paterno, Bruno, mas a minha avó materna e os meus avós paternos tive o privilégio de conviver muito!

Minha avó materna, Geny, hoje com 90 anos, é uma pessoa maravilhosa, uma segunda mãe! Lembro-me, com muita saudade, da minha infância ao seu lado. Ela era aquela avó que me levava para todo canto: cinema, parques, praças… Quando eu ia para a sua casa, a mesa da sala de jantar virava um tablado para jogos, quebra-cabeças (que jamais podiam ser desmontados)… Como era divertido! Até hoje, cada momento que passo ao seu lado é especial! Jamais vou me esquecer de quando ela fazia sorvete, bolo, brigadeiro… Quando almoço lá, saio com um bolo inteiro para levar para a minha casa. O Matheus, meu filho, tem curtido muito isso! Adora visitar a bisa, tocar piano na casa dela…

E a convivência com os avós vai muito além do brincar! Deixa inúmeras lembranças e ajuda no crescimento emocional saudável. É preciso que os pais levem seus filhos para visitar os avós, mas também que os avós visitem os netos. Eles precisam estar juntos não no final de semana, mas em um buscar e levar na escola, assistir a aulas de ballet, futebol, natação; enfim, estar presentes em momentos distintos! Isso vai trazer memórias afetivas para a criança!

Meus avós por parte de pai foram muito importantes na minha vida também! A vovó Glorinha, hoje com 95 anos, ainda representa a base sólida da família. Mesmo com a idade avançada, é capaz de transformar um simples domingo em um almoço especial e inesquecível! Como ela cuidou de mim! Tantos momentos especiais e inesquecíveis que é difícil contar aqui. Ela é o meu maior exemplo de amor ao próximo! Vê-la sorrir ao estar com o Matheus é o maior presente que poderia ganhar!

Já o meu avô, Oiliam José, falecido há um ano, aos 96 anos de idade, deixou um legado inesquecível e de muito orgulho!

Formou-se em Direito aos 42 anos, tornando-se um brilhante advogado. Membro de várias instituições como o Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais, de São Paulo, de Juiz de Fora; Instituto Genealógico Brasileiro; Academia Mineira de Letras (onde foi o primeiro acadêmico a completar 50 anos de Academia, permanecendo lá até a sua morte) e outras; Oiliam, para mim, foi muito mais do que um escritor (mais de 30 livros publicados), historiador, advogado… Ele foi o avô Oiliam! Aquele que me carregou no colo e me ensinou a ler e escrever quando eu tinha apenas três anos e meio de idade; aquele que me permitiu ajudá-lo a digitar seus livros (escritos à mão); aquele que pegou o Matheus nos braços e ficou muito feliz por ver seu primeiro e único bisneto! Por tudo isso, ter avós é maravilhoso!

Eu deixo aqui um recado para todos: curtam os seus avós! Deixem seus filhos curtirem os seus pais, seus avós… A vida passa depressa demais! Não sabemos quanto tempo mais teremos ao lado deles! Não podemos perder tempo! O maior presente que ganhei na vida foi ter o privilégio de ter um filho que conheceu os meus avós! Com certeza, tenho muitas histórias para contar para ele um dia. E desejo que ele também tenha histórias com seus avós e bisavós para contar!

Gostou desse conteúdo? Assista também: a importância da presença dos avós na vida das crianças