Abraço: 20 segundos que ajudam seu filho a se desenvolver e ser feliz | Macetes de Mãe
Abraço

Abraço: 20 segundos que ajudam seu filho a se desenvolver e ser feliz


28 de agosto de 2017

No post de hoje, escrito pelas fisioterapeutas Ale Palazzin e Graziela Faelli, autoras do blog Tempo Mágico, o assunto é algo bem simples, mas muito significativo: o abraço entre pais e filhos e a sua importância para o desenvolvimento das crianças. Veja como esse simples gesto pode ajudar na felicidade e no bem estar das crianças.

Abraço: 20 segundos para ajudar seu filho a se desenvolver e ser feliz

Por Ale Palazzin e Graziela Faelli, autoras do blog Tempo Mágico

Google Images

A afetividade recebida pela criança na primeira infância tem grande influência na sua formação como adulto. Ela tem papel importante tanto no desenvolvimento emocional quanto no físico. É um dos instrumentos que os auxilia a criar e experimentar vínculos e conexões com as pessoas ao seu redor e vários estudos demonstraram que ter relações significativas é um preditor importante de grau de satisfação na vida, estando relacionada à longevidade, menor grau de stress e maior bem estar geral.

Um dos meios mais efetivos de ensinar, demonstrar e exercitar esta afetividade e fortalecer o relacionamento é através do abraço!

O tato é o primeiro sentido a começar a se desenvolver ainda enquanto estamos dentro do útero. O ser humano é capaz de viver sem conseguir enxergar, ouvir, perceber cheiros ou gostos mas sem o sentir, através da pele, isso não é possível. Mas por quê? Porque o cérebro é muito inteligente, e ele consegue distinguir os diferentes tipos de estímulos táteis, então, uma criança abraçando uma boneca quando está triste não vai se sentir da mesma forma do que quando é abraçada por alguém. Isso porque com o abraço entre duas pessoas é liberada a ocitonica, uma substância cerebral que esta relacionada com a formação e manutenção da ligação entre as pessoas, sendo, por isso chamada de  “molécula do amor”

Cada vez que seu filho recebe um abraço são geradas inúmeras conexões cerebrais, em diversas áreas do cérebro, que contribuirão para o seu desenvolvimento físico, cognitivo, emocional e das relações sociais.

Quando bebê começa a vivenciar experiências físicas de colo e contato, o sentimento de amor, cuidado, carinho começa a ser construído. Ao serem abraçados, sentem o toque e aprendem que isso é bom. Pois esses gestos levam ao aumento da produção de substâncias cerebrais (os neurotransmissores serotonina e dopamina) que melhoram o humor, diminuem a sensação de solidão e aumentam o bem estar e a alegria. Só como curiosidade: são estas mesmas substâncias que estão reduzidas em quem tem depressão… (mais um benefício do abraço! Ajudar quem está passando por momentos difíceis..).

Além disso, o abraço ajuda a regular o stress e a ansiedade. Já foi comprovado que o contato da pele faz com que haja diminuição cortisol, hormônio liberado nessas situações, acalmando o bebê, e deixando o mais seguro, aberto ao aprendizado e ao novo.

Em relação ao  desenvolvimento físico da criança, o abraço consegue auxiliar o bebê a manter a sua temperatura e pressão arterial e favorece o equilíbrio de funcionamento do organismo. Isso ajuda-os a ganhar peso, principalmente os prematuros (já viram aquele método Canguru, usado nas UTIs neonatal para ajudar os bebezinhos a crescer?). Mais que isso há a liberação do hormônio do crescimento, GH, que também tem ação no aumento da imunidade da criança.

Nossa, olha quanta coisa um abraço pode fazer!!

Mas um ponto de atenção! Nem todo o abraço é igual!  Os maiores efeitos, principalmente a liberação da ocitocina ( aquela “molécula do amor”) só ocorrem se ele tiver uma duração de mais de 20 segundos

Então aproveite para dar aquele colinho gostoso, ficar agarradinha e dar aquele abraço compriiiiiiiiiido no filhote para ele receber todos os benefícios deste gesto (e você também, claro!).

Leia outros textos dessas mesmas autoras para o Macetes de Mãe:

Como ensinar sobre perseverança durante o processo de desenvolvimento motor das crianças.

Aprendizado: ter sucesso uma vez significa que já aprendeu?

 

Alessandra Palazzin é fisioterapeuta, especializada em neuropediatra, mestre em aprendizado motor e mãe do Pedro. Graziela Faelli também é fisioterapeuta, especializada em neurologia pela USP, mestre em neurociências (UNICID) e mãe do Rafael. As duas são autoras do blog Tempo Mágico, que trata sobre desenvolvimento infantil. Siga o blog Tempo Mágico nas suas redes sociais e fique por dentro de informações interessantes e úteis sobre desenvolvimento infantil: Facebook e Instagram.