Adoção - uma história mais do que especial | Macetes de Mãe

Adoção – uma história mais do que especial


4 de abril de 2017

Olá! Hoje compartilho com vocês a linda história da Fernanda e da Manuela, uma mulher incrível e uma menina guerreira, que o destino quis que virassem mãe e filha através de um processo de adoção. De emocionar e de tocar fundo no coração. Daquelas histórias que nos fazem voltar a acreditar na beleza e força do ser humano.

Adoção mais do que especial – a linda história da Fernanda e da Manu 

Oi, meu nome é Manuela. Cheguei ao mundo em abril de 2013, mas foi em agosto de 2014 que, oficialmente, “nasci” para minha mamãe.

Isso mesmo, sou filha por adoção. Escolhi minha mamãe e ela me escolheu. Ou melhor, Deus nos escolheu e nos presenteou com amor materno. Nasci com um problema cardíaco e, ao receber alta da maternidade, fui encaminhada a um cardiologista, porém, minha família biológica não tinha condições e não me levou ao médico. Por ser cardíaca, tinha muita dificuldade para mamar e isto causou uma grave desnutrição, agravando ainda mais meu estado de saúde. E o que parecia ser um “pequeno” problema cardíaco gerou muitas complicações.

Em agosto de 2013, cheguei ao Hospital com uma grave desnutrição e muita dificuldade respiratória. Fui diagnosticada com cardiopatia congênita CIV e CIA e insuficiência respiratória. Permaneci internada durante cinco meses, nos quais passei por inúmeras intercorrências, procedimentos e cirurgias. Dentre vários, apresentei na evolução complicações como: paradas cardio respiratórias e inúmeros episódios de entubação/extubação/re-entubação que me levaram a ser Traquestomizada “nariz artificial” (um furinho no pescoço para conseguir respirar). Estas entubações causaram deformidade na laringe, pregas vocais coladas e Estenose Glótica e Subglótico. Também foi feito uso de Gastrostomia (sonda alimentar fixada na barriga para que a comida vá direto para o estômago), pois eu não conseguia me alimentar. Hoje, devido as terapias estou evoluindo.

Mas, contrariando diagnósticos médicos, recebi alta em janeiro de 2014, mostrando para todos como sou forte e guerreira e como lutei, com todas as minhas forças, pela minha vida.

Mesmo antes de receber alta, Deus já estava preparando um presente que mudaria para sempre minha história. Durante minha internação, “mamãe” conhece a instituição de acolhimento que era responsável por mim.

Com o intuito de levar mais alegria para aquelas crianças e de fazê-las perceber a importância de sonhar e nunca desistir dos seus sonhos, essa professora inicia um trabalho voluntário de contação de história na instituição. Algo que a encantava mais a cada dia, pois a maior alegria era ela quem recebia.

Nesse momento, Deus coloca em ação seus planos para nossas vidas e, agora que já contei bastante, vou deixar mamãe continuar a história.

Olá, meu nome é Fernanda, sou solteira, professora e, através de um aluno, iniciei um trabalho voluntário na instituição de acolhimento que guardava o maior presente da minha vida: minha filha!

Em janeiro de 2014, ao ver a agitação na instituição de acolhimento, conheço a história de uma menina que estava preste a receber alta do hospital. Após ouvir poucas palavras da vida daquela pequena grande guerreira e ver uma foto dela, imediatamente meu coração disparou e, nesse mesmo momento, aquela vontade que eu nutria desde menina – de ser MÃE – me consumia por completo: eu queria ser mãe por meio da adoção.

Após me recompor de tamanha emoção e olhar para aquela foto tão linda, aquele olhar encantador, ainda com o coração vibrando e os olhos cheios de lágrimas, veio um sentimento forte que me disse: “Vou levar essa menina para casa e ela vai ser minha filha”.

As pessoas ao meu redor não entenderam o que estava acontecendo, mas eu estava certa de que naquele momento se iniciava minha “gestação do coração”.

Iniciei, então, os trâmites legais para adoção e assim aconteceu. Depois de uma gestação do coração de 9 meses de ansiedade, inúmeras idas e vindas ao fórum, angústias, medos, leituras, terapias e a certeza de que a vontade de Deus estava sendo feita, aconteceu: minha “bolsa estourou”! E, assim, em agosto de 2014, sou chamada no fórum para receber a notícia mais esperada dos últimos meses: o “parto do coração”.

Neste momento, Manuela enfrentava mais uma internação, o que não afetou nossa felicidade, pois a partir de agora, oficialmente, estaríamos juntas para sempre, como  mãe e filha.

Logo que recebemos alta, iniciamos nossa caminhada de amor, batalha, tratamentos, obstáculos, superações e muitas conquistas. Sei que, pela vontade de Deus, não foi em meu ventre que a Manuela se formou, que a primeira vez em que a senti mexer foi em meus braços e não em minha barriga, mas há algo mais forte que laços de sangue: os laços do coração.

Assim minha filha nasceu para mim!


Durante este período em que estamos juntas, Manu já passou por vários procedimentos médicos, tais como: cirurgia cardíaca, exames invasivos, trocas de traqueostomia e gastrostomia, cirurgia de refluxo, laringotraqueoplastia (tratamento que exigi nossa permanecia em São Paulo por longos períodos), entre outros. Diariamente, batalhamos por seu desenvolvimento e a Manu ainda tem indicação clínica para realizar diversas terapias semanais: Fisioterapia motora (2 vezes na semana), fisioterapia respiratória (2 vezes na semana), terapia ocupacional (1 vez na semana) e acompanhamento fonoaudiológico (3 vezes na semana). Sendo que, em Barra Velha, nosso município, não há atendimentos especializados e o SUS não disponibiliza tais atendimentos adequados para um bom desenvolvimento de casos como o da Manuela.

Surge então a necessidade de procurarmos tratamentos em outra cidades. Atualmente Manuela faz tratamentos em Joinville e em São Paulo, cidade na qual estamos morando temporariamente há seis meses.

Manuela, com certeza, teria todos os motivos para viver triste, mas prefere viver sorrindo. Isso é um grande exemplo para todos nós.

Com Carinho Fernanda e Manuela.

Saiba mais sobre essa emocionante história: