Diabete gestacional X Alimentação | Macetes de Mãe

diabete gestacional

Diabete gestacional X Alimentação


14 de julho de 2019

Se você não teve, com certeza tem uma amiga que teve diabete gestacional, um problema bem comum na gravidez.

Eu mesma, lembro da primeira vez que uma amiga me contou que estava com esse problema. Tínhamos saído para jantar (eu no início da gestação do Leo e ela já grávida de alguns meses) e ela acabou não jantando conosco, pois estávamos em uma pizzaria, ela estava com diabete gestacional, e o médico havia pedido que ela evitasse a ingestão de farinha branca.

Pois bem, como deve ser a alimentação de quem sofre de diabete gestacional? Quem explica pra gente sobre o assunto, é a nossa colunista, a nutricionista Roseli Ueno.

Diabete gestacional x Alimentação

A diabete gestacional é um tipo da doença que a mulher pode desenvolver durante a gravidez. E ocorre quando o pâncreas não consegue produzir o hormônio insulina suficiente para ajudar as células do corpo a usar o açúcar do sangue como fonte de energia.

No início, pode ser assintomática mas ao longo da gestação a mulher poderá sentir os sintomas da doença como cansaço, náuseas, aumento da frequência para urinar, fome, sede excessiva, aumento da glicemia nos exames de sangue, perda de açúcar na urina, entre outros. Se não tratada, poderá desencadear várias complicações durante a gestação tanto para a mãe quanto para o seu bebê. É importante ter atenção a alimentação.

A American Diabetes Association recomenda que as mulheres tenham três refeições pequenas a moderadas e de 2 – 4 lanches ao longo do dia. Portanto, é preciso reforçar que a nutrição deve ser personalizada para cada caso. Além disso, deve ser levado em consideração se ela é uma gestante com perfil sedentário ou se pratica atividade física regular.

Na maioria dos casos é possível controlar a glicemia sem necessidade de medicações desde que sejam adotadas algumas regras:

  • Não exagerar no consumo de carboidratos nas refeições
  • Preferir comer carboidratos complexos que são ricos em fibras
  • Ter rotina de refeições, não pular nenhuma
  • Fazer combinações sempre carboidrato com proteínas e boas fontes de gordura saudável
  • Evitar doces e açúcar
  • Evitar bebida alcóolica
  • Não seguir nenhuma dieta sem orientação profissional adequada para não correr riscos desnecessários

O que pode comer:

  • Fontes vegetais em todas as refeições como verduras e legumes. As verduras cruas são excelentes pela presença de fibras, baixo índice glicêmico, dá saciedade. Cuidar sempre da higiene, lavar bem antes de consumir. (Principalmente as gestantes que não tiveram a toxoplasmose). Ex: alface, repolho, acelga escarola, agrião, chuchu, berinjela, abobrinha, radichio, chicória, etc.
  • Frutas: seguir orientação profissional para o seu caso. Não é necessário parar de comer, mas é preciso saber a porção, melhor horário para consumo, e comer acompanhada por alimento fonte de proteína (ex. queijo) ou gordura saudável (ex. amêndoas).
  • Proteína vegetal: feijão, grão de bico, lentilha, ervilha, soja, tremoço
  • Carnes magras: como frango sem pele, peixes, carne vermelha de cortes magros e sem gordura aparente como maminha, fraldinha, lagarto.
  • Leite se seus derivados como queijo branco fresco, ricota, cotage, muzzarela com baixo teor de gordura, iogurtes desnatados, leite semi desnatado, entre outros.
  • Carboidratos ricos em fibras: sempre com controle nas porções. Não é porque tem fibra que pode comer a vontade. Lembre que é carboidrato. Ex. arroz integral, batata doce, quinoa, cuscuz, batata, mandioca, mandioquinha entre outros.

Cuide da sua saúde. Assim você ficará bem ao longo da gestação. Se você não tem diabetes e está grávida, não abuse dos carboidratos e controle seu peso. Enfim, é uma forma de prevenir a diabete gestacional.

CONHEÇA MEU LIVRO: “GRÁVIDA E PRÁTICA – UM GUIA SEM RODEIOS PARA A MÃE DE PRIMEIRA VIAGEM”:

PARA COMPRAR O LIVRO, CLIQUE:

Amazon: https://amzn.to/2S6NI8P
Livraria da Travessa: http://bit.ly/2PMLj10
Venda online com entrega em todo o Brasil