Dicas de brinquedos e brincadeiras para o dia das crianças (e outras datas) | Macetes de Mãe
Dicas de brinquedos e brincadeiras

Dicas de brinquedos e brincadeiras para o dia das crianças (e outras datas)


6 de outubro de 2018

O dia das crianças está chegando e você deve estar procurando dicas de brinquedos e brincadeiras para tornar essa data ainda mais especial. Eu pelo menos sempre me pego pensando no presente que vamos dar para as crianças. Ou no passeio que faremos com elas. E como fazer essa data também ficar marcada para sempre na memória dos meus filhos. Mas a verdade, é que as crianças só querem saber de brincar, e de preferência com a gente. Com ou sem brinquedo, a criança quer brincar de faz de conta e quer que a gente entre na brincadeira.

E foi pensando em deixar o dia das crianças de todos nós ainda mais divertido e memorável, que a nossa colunista Raquel Luzardo, fonoaudióloga e especialista em linguagem, preparou esse texto recheado com dicas de brinquedos e brincadeiras.

Dicas de brinquedos e brincadeiras para pais e filhos

Brincar é viver e aprender a viver

Mais do que entreter a criançada, o brincar é fundamental para o desenvolvimento infantil. É brincando que elas desenvolvem a memória, a criatividade, o raciocínio e a solução de problemas. É nas brincadeiras que a criança se relaciona com o mundo e o brinquedo é o estimulador da curiosidade e da iniciativa, proporcionando uma divertida forma de desenvolvimento da linguagem, do pensamento e da atenção. E os primeiros seis anos de vida de desenvolvimento da criança são fundamentais. É a fase onde se deve ter mais atenção aos estímulos que elas recebem.

A boneca que chora e sorri como um bebê ou o carrinho de plástico que faz o barulho de um automóvel em movimento e emite o som agudo ao fazer uma curva com grande velocidade que estão presentes na imaginação dos pequenos, que os materializam verbalmente em suas brincadeiras de faz de conta. Da mesma forma, jogam futebol “ouvindo” os aplausos e gritos de incentivo de uma torcida imaginária. Nesse contexto, verbalizam as falas de um narrador, também imaginário, que descreve com grande exatidão o evento esportivo. O desejo da criança de fazer coisas que os adultos realizam no cotidiano a faz inventar situações para brincar daquilo que gostaria de fazer na vida real.

E, aproveitando que dia 12 comemoramos o Dia das Crianças, vou deixar aqui algumas dicas de brinquedos e brincadeiras para cada faixa etária.

Estimulando os sentidos

De 0 a 2 anos

Durante os primeiros anos, a criança explora os brinquedos de várias maneiras: leva à boca, deixa rolar ou joga no chão. É importante experimentar por meio do tato, da audição, do olhar, do paladar ou do olfato. Os brinquedos devem ter diferentes texturas, diversas cores e fazer sons variados para desenvolver a percepção sensorial. São com os brinquedos que as crianças aprendem noções de tamanho, forma, som, textura e como funcionam as coisas.

Os bebês adoram apertar, sacudir, jogar, bater, empilhar. Nessa fase, o ideal são brinquedos leves para que possam colocar na boca, móbiles que eles possam tocar, chocalhos, bichinhos de borracha que produzem som, brinquedos flutuantes para o banho, livrinhos de pano, grandes cubos para empilhar.

Por volta de um ano, as crianças começam a dar os primeiros passos e já conseguem interagir com outras crianças e adultos. Mas ainda levam coisas à boca. Nessa fase é importante que os brinquedos não contenham peças pequenas que podem ser engolidas. “Dê preferência aos brinquedos certificados pelo Inmetro.

Entre 1 e 2 anos, as crianças ainda vão se divertir com os brinquedos que já possuem, mas também vão gostar de livros com ilustrações de objetos familiares, carrinhos que possam puxar ou empurrar, brinquedos de montar e desmontar ou simples caixas com coisas dentro para tirar e colocar de volta. Instrumentos musicais, como pianinhos, cornetas e tambores também são indicados. Nessa idade é importante que elas comecem a guardar seus brinquedos. Estimule a fazer isso como parte da brincadeira. Pode cantar uma musiquinha no tema para incentivar.

Leia também: brincadeiras com bebês – qual o papel dos brinquedos durante a brincadeira

No mundo da fantasia

De 3 a 6 anos

Nesta fase, os brinquedos vão ajudar a estimular, além da linguagem, o conhecimento, a coordenação motora e também a imaginação.

As crianças gostam de bonecas, casinhas, carrinhos, fantasias e tudo que estimule o faz de conta. Enfim, é com essa idade que elas serão príncipes, princesas, super-heróis e vão adorar brincar de casinha, policial, mamãe e filhinha, e outros personagens.

Brinquedos que estimulem o faz de conta, como fantasias e equipamentos que complementem o seu mundo imaginário são importantes nesta etapa. Por isso sugiro: supermercado em miniatura com dinheirinho de brinquedo, caixa registradora, telefone, cidadezinhas, zoológico, fazendinha, posto de gasolina, fantoches, fantasias, bonecas e casinha com móveis, utensílios de cozinha e comidinhas.

Elas já podem brincar com brinquedos de montar e desmontar mais elaborados. Como não levam mais as peças à boca, os brinquedos podem ter pecinhas menores. Livros de histórias com figuras coloridas também são indicados.

Jogos com regras fáceis também ajudam a trabalhar o raciocínio e as emoções. Com jogos em que se ganha ou perde, as crianças começam a trabalhar a frustração. Portanto, aprender a lidar com esse sentimento e poder verbalizar é essencial para o seu equilíbrio emocional e o desenvolvimento psicossocial.

Outras ideias: massinha de modelar, giz de cera, quadro-negro com giz, quebra-cabeça, jogo da memória, Lego.

Hora do Jogo

Crianças de 7 a 12 anos

Nesta idade, ser aceito pelos amigos é muito importante e o jogo corporal se evidencia nos esportes. A convivência se aprimora com os jogos de bolinhas de gude, brinquedos de montar, jogos de tabuleiro e, além disso, jogos de cartas que podem incentivar a competição saudável, desenvolvem aspectos linguísticos e sociais. Mais velhas, as crianças desta faixa etária já podem brincar com jogos de regras e devem ser estimuladas a ler e fazer atividades que envolvam habilidades físicas. São indicados para esta fase os jogos como quebra-cabeças e jogos de tabuleiros, que devem começar de forma bem simplificada, com poucas peças ou peças grandes e regras simples de cumprir. Com o tempo, os jogos podem ir ganhando complexidade conforme as crianças forem crescendo. Também vão gostar de objetos que estimulem a imaginação e as descobertas, favorecendo também o aumento do vocabulário e a estruturação do pensamento.

Entre 9 e 12 anos

Os pré-adolescentes já estão em fase de definir seus gostos e interesses. Por isso, os pais já podem consultá-los sobre o que gostariam de ganhar. No entanto, é válido despertar neles o gosto por coisas que os estimulem a raciocinar, a se mexer e usar a criatividade.

Brincadeiras divertidas

  •  acampamento diferente: vale montar a barraca no meio da sala ou improvisar com lençóis, cadeiras e almofadas;
Imagem do Pinterest
  • piquenique maluco: que tal estender uma toalha no chão da sala e fazer um jantar diferente?
  • jogos diversos: de tabuleiro, pega varetas, dominó, memória, damas;
dicas de brinquedos e brincadeiras
Imagem do Pinterest
  • uma caixa de papelão grande pode virar uma casinha ou um foguete. Use a imaginação!
dicas de brinquedos e brincadeiras
Imagem do Pinterest
  • caça ao tesouro: esconda as pistas pela casa;
dicas de brinquedos e brincadeiras
Imagem do Pinterest
  • corrida de aviões de papel: vale decorar os aviões com canetinha ou usar as folhas de uma revista velha;
dicas de brinquedos e brincadeiras
Imagem do Pinterest
  • batata quente com o celular: passar o celular de mão em mão com o timer ligado. Por fim, aquele que for fotografado, perde;
  • qual é a música: falar uma palavra e tem que cantar uma música que tenha aquela palavra na letra. Use o repertório da criança.

Brincar é viver e aprender a viver. Então, aproveite para se jogar nas brincadeiras com seus filhos!

Se você gostou desse vídeo, assista também no canal MdM, esse vídeo com 5 dicas de brincadeiras para crianças até 1 ano de idade