Dicas para aliviar a dor dos bebês em procedimentos como tirar sangue

Dicas para aliviar a dor dos bebês em procedimentos como tirar sangue


3 de janeiro de 2015

Só de pensar nos nossos filhos sentindo algum tipo de dor já dá um negócio, né? Nos recém-nascidos então, nem se fala. Lembro que o Leo tinha 2 meses quando tirou sangue pela primeira vez. Na ocasião, eu pedi para a minha sogra ir junto, para nos acompanhar nesse momento delicado e tenso e, no fim, acabou que eu tive que socorrê-la na hora H (risos). Lembro que era eu dando suporte para o Leo e de olho nela, que passava mal na cadeira ao lado. Engraçado se não fosse tenso.

dicas que aliviam a dor
Photo Credit: MuddyBootsPhoto via Compfight cc

Mas a boa notícia é que nem sempre esses momentos chatos e necessários tem que ser sofridos e alguns médicos e pesquisadores descobriram formas muito simples, mas bastante eficazes, de diminuir o desconforto e a dor nesse tipo de procedimentos.

O primeiro deles é a amamentação. Basta iniciar a amamentação cerca de cinco minutos antes do procedimento doloroso, como tirar sangue. E manter o bebê junto ao peito mamando até tudo terminar.

O segundo é o contato pele-a-pele, conhecido também como contato canguru. O bacana deste método é que tanto mães quanto pais podem fazer. Funciona muito bem para os recém-nascidos, em especial os prematuros Basta deixar o bebê só de fralda colocar o bebê na posição vertical “barriga com barriga”. É bom iniciar cerca de 15 minutos antes da coleta de sangue ou punções

E o último é oferecer uma solução levemente adocicada ao bebê enquanto o exame é feito. Os médicos ou enfermeiros colocam na boca do bebê, com uma seringa, uma solução de água e sacarose. É preciso colocar cerca de um a dois minutos antes de iniciar o procedimento e repetir a cada dois minutos até o fim da coleta de sangue ou outros procedimentos dolorosos.

Essas técnicas foram descobertas e estão sendo desenvolvidas e disseminadas através de um trabalho conjunto entre pesquisadores e profissionais de saúde da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade de Ottawa, no Canadá. Esse projeto, que leva o nome “Seja Doce Com o Bebê” ou “Be Sweet To Babies” prega que, além de diminuir a dor, esta também é uma forma de fortalecer o papel dos pais no cuidado com o bebê, bem como de favorecer o vínculo e humanizar a assistência aos pequenos.

Quer saber mais sobre essas técnicas e como elas podem ser usadas? Assista o vídeo desse trabalho muito legal, que aqui no brasil é liderado pela Mariana Bueno, enfermeira especialista em enfermagem neonatal e professora da Escola de Enfermagem da USP.