Dicas sobre a dentição mista e de leite das crianças | Macetes de Mãe
dentição mista

Dicas sobre a dentição mista e de leite das crianças


14 de março de 2019

Antes de você começar a ler esse texto, precisa entender o que é dentição mista e de leite. Dentição mista é um período no qual coincidem dentes de leite e definitivos na boca da criança. Isso acontece por volta dos 6 anos de idade com o aparecimento dos primeiros molares definitivos. E termina por volta dos 12 anos com o surgimento dos segundos molares definitivos.

O post de hoje faz parte de um material que recebi da assessoria de imprensa do cirurgião dentista Rogério Pavan e que achei bem interessante compartilhar. São dicas sobre a dentição mista e de leite das crianças. 

12 Dicas sobre a dentição mista e de leite das crianças

1- A primeira e mais importante dica é a respeito da amamentação

Os laços estabelecidos durante a amamentação são muito fortes. O contato físico mãe e filho é uma troca de energia muito prazerosa para ambos , as propriedades do leite materno são insuperáveis e por fim vem a questão do desenvolvimento da arcada dentária. Uma questão muito importante é a da  postura ao amamentar. A criança deve ficar ereta em relação ao peito da mãe, assim não engole ar, pode retirar a cabeça quando estiver saciada, além de estimular adequadamente o crescimento da boquinha.

2 – A utilização de chupetas e mamadeiras é certo ou errado?

Em muitos casos as mães tem dificuldades em amamentar, portanto a utilização de mamadeiras pode ser muito útil. No entanto dezenas de estudos mostram que podem haver deformações na arcada dentária ou mesmo o surgimento de hábitos de sucção devido ao uso continuado das mamadeiras e chupetas; portanto a melhor medida é evitar. 

3  – Ao nascer os primeiros dentinhos de leite um odontopediatra deve ser consultado

Um bom dentista ou um especialista, neste caso um odontopediatra, pode orientar sobre cuidados específicos em relação a chegada dos primeiros dentinhos

4 – Deve sempre haver espaços entre os dentinhos de leite anteriores

Antes mesmo que os dentinhos de leite comecem a trocar, é muito importante que haja espaço, pois os dentes permanentes que virão podem apresentar o dobro do tamanho dos de leite; como a arcada dentária cresce naturalmente em altura e profundidade, a falta de espaço é um indicador que esta criança necessita de correção para os dentinhos, caso contrário ficarão todos apinhados. 

5 – Manter os cuidados com a higienização

Existe uma tendência dos pais relaxarem um pouco quando se trata dos dentes de leite, pois todos sabem que um dia serão substituídos, no entanto cáries e até mesmo problemas de canal podem surgir e acabam por prejudicar os dentes permanentes e o formato da arcada dentária.

6 – Coisas simples previnem grandes problemas, devemos contar os dentes

Uma arcada de dentes de leite deve conter 20 no total, sendo 10 na parte superior e mais 10 na parte inferior. A falta de um deles, se não for percebida, pode gerar distorções no arco dentário e causar problemas ortodônticos.

7 – Tão logo a dentição de leite estiver completa um especialista deve ser consultado

Em geral a arcada fica completa por volta dos 3 anos de idade, nesta fase, uma análise sobre o crescimento, desenvolvimento e posicionamento dos dentes deve ser feita. Muitas vezes já se pode notar disfunções como mordida aberta (a criança fecha a boca e sobra espaço entre os dentes de cima e de baixo), mordida cruzada (quando os dentes de baixo saem para fora em relação aos dentes de cima), sobre mordida (quando os dentes anteriores de cima cobrem muito os dentes anteriores de baixo), etc. Nesta fase uma análise aos olhos de um especialista pode prevenir muitos problemas.

Leia também: o dente permanente nasceu e o dente de leite não caiu – o que fazer?

8 – Uma alimentação pautada em alimentos consistentes contribuem para o crescimento da arcada

Atualmente as crianças tem muitas facilidades e comem poucos alimentos crus. Os alimentos crocantes estimulam a mastigação e auxiliam no crescimento adequado da arcada dentária.

9 – O oposto é verdadeiro

Alimentos como papinhas são adequados para crianças que ainda não tem dentinhos; por isso, tão logo comecem a nascer (os dentes) deve começar ser estimulado a ingerir alimentos sólidos.

10 – Observar se a criança respira de boca fechada

Com certa frequência notamos crianças que respiram pela boca, essa disfunção promove o estreitamento da arcada e predisposição a problemas de amigdalites (dor de garganta) e, além disso, adenoide (obstrução parcial da via respiratória).

11 – Problemas respiratórios frequentes como gripes e resfriados são indícios de problemas com a arcada dentária

Os pais devem ficar atentos, pois, uma arcada pequena poderá gerar dificuldades na respiração, predispondo a criança a processos infecciosos. Neste momento é muito importante uma análise especializada a respeito da estrutura da arcada.

12 – O ideal é que a arcada esteja pronta para chegada dos dentes permanentes

Se todos os processos anteriores forem verificados, iremos prevenir as más formações da arcada dentária, ou até mesmo corrigi-las a tempo de fazer com que os dentes permanentes cheguem com facilidade e naturalmente. Portanto, os dentes permanentes poderão assumir suas posições com tranquilidade, minimizando as chances de tratamentos ortodônticos complicados na adolescência.

Fonte: esse post foi produzido a partir das informações recebidas pela Máxima Assessoria de Imprensa, do Dr. Rogério Pavan –  Cirurgião Dentista – CRO 60820.

CONHEÇA MEU LIVRO: “GRÁVIDA E PRÁTICA – UM GUIA SEM RODEIOS PARA A MÃE DE PRIMEIRA VIAGEM”:

PARA COMPRAR O LIVRO, CLIQUE:

Amazon: https://amzn.to/2S6NI8P
Livraria da Travessa: http://bit.ly/2PMLj10
Venda online com entrega em todo o Brasil