Meu filho não quer usar o vaso. E agora? | Macetes de Mãe
meu filho não quer usar o vaso

Meu filho não quer usar o vaso. E agora?


21 de julho de 2019

Chegou a hora do desfralde, mas o processo está sendo mais difícil do que você imaginou. Se seu filho não quer usar o vaso é normal. Acredite, o desfralde não é um processo simples. E tem criança que não quer usar o vaso de maneira nenhuma. Tem criança que tem medo de sentar no vaso. Pra gente, pode parecer bobagem, mas tente se colocar no lugar da criança. Ter que sentar naquele negócio grande, com um buraco enorme que dá a impressão de que vai engoli-lo. Não dá mesmo vontade de chegar perto.

Mas então o que fazer se seu filho não quer usar o vaso?

No post de hoje, temos a estreia de uma nova colunista. É a psicóloga Gabriela Sayago a quem dou boas vindas. Gabriela estreia em grande estilo, compartilhando dica para esse processo que faz parte de um grande marco no desenvolvimento infantil: o desfralde. Portanto, confira como lidar com a criança que está se recusando a usar o vaso.

Meu filho não quer usar o vaso. E agora?

Não demora muito e chega aquela fase em que os pais se veem comprando calcinhas, cuecas, super felizes com o desfralde que vai muito bem, obrigada! Um escape aqui, outro ali, o bastante para nos ensinar que, portanto, até um tênis reserva é bom ter na malinha de troca.

O bebê está crescendo, já faz xixi no vaso na maioria das vezes, tudo como planejado… Então, seria perfeito se não precisássemos falar sobre ele: o cocô. O que é natural, convenhamos, mas ainda assim um assunto que aterroriza os pais e os filhos que têm medo de falhar.

Não é exatamente uma regra, porém é bastante comum que a criança tenha mais dificuldade e resistência a se acostumar a usar o banheiro para o “número 2”.  Existem diversas explicações, desde as mais complexas relacionadas à fase anal da psicanálise, passando por questões orgânicas e fisiológicas e, além disso, chegando aos motivos mais simples como o tédio em ter que esperar ou a insegurança em sentar no vaso sanitário.

Nós, mulheres, em grande maioria, sabemos bem que o intestino às vezes parece que tem vontade própria e qualquer alteração na nossa rotina já mexe com todo nosso organismo. Com a criança não é diferente, é uma fase de aprendizados, em que a rotina começa a se estabelecer e qualquer nova tarefa demanda deles mais atenção e mais cuidado. Cada pequena mudança conta na rotina dos pequenos.

E, sabendo que o medo de usar o vaso é real e que cabe ao adulto ajudar os pequenos, vamos pensar em maneiras de facilitar esse processo:

A dieta: É importante que as mães e pais pensem na dieta da criança, favorecendo o consumo de fibras e a ingestão de água. A função da dieta balanceada, como resultado, é evitar a constipação que pode causar dor na criança e, por consequência, gerar uma experiência traumática.

Os horários: Compreender o ritmo do intestino da criança e saber quando seu filho costuma ter vontade de ir ao banheiro, é uma boa tática para levá-lo ao vaso. Assim, ele não precisará esperar tanto, já que é comum que a criança se entedie. Afinal, enquanto usa fralda, ele podia estar no meio de uma atividade, sem ter que parar para fazer cocô.

Paciência: Não force e nem demonstre irritação. Seja parceira da criança. É um momento novo, um hábito novo e se ele pensar que é um incômodo para você, terá a tendência de desistir. Faça companhia, conte uma história. Se mesmo assim não acontecer, tudo bem! Acolha-o, diga que tentarão de novo mais tarde.

Diálogo: Conversar é fundamental. Explique que os adultos também vão ao banheiro, conte o que gostam de fazer, se leem, se concentram ou checam o celular. O importante, portanto, é lembrar que as crianças veem seus pais como exemplos e tudo o que fazemos, eles replicam.

O lugar certo: Caso a criança só faça cocô na fralda, leve-o para fazer no banheiro, sempre conversando. Explicando que lá é o lugar certo para as necessidades e depois, com ele, jogue o cocô na privada. Por fim, dê o famoso “tchau” para o cocô.

Seja parceira da escola: Se a criança já está na escola, converse com a professora. Entenda como é o processo por lá. Assim, será possível manter os mesmos hábitos em casa e na escola.

Comemore o sucesso: Toda vez que a criança conseguir, festeje! Dê o tchau para o cocô durante a descarga para a criança entender que é normal o cocô ir embora. E que não precisa ficar triste.

Alguns livros podem ajudar

Enfim, confira algumas dessas literaturas para esta fase, como:

  • “O que tem dentro da sua fralda?”- Brinque Book
  • “Da Pequena Toupeira que queria saber quem fez cocô na sua cabeça” – Companhia das Letrinhas
  • “Cadê o meu penico” – Martins Fontes

E o fundamental, lembre-se que é uma fase! Vai passar e vai dar até saudade! Curta cada minuto enquanto eles ainda cabem no nosso colo.

CONHEÇA MEU LIVRO: “GRÁVIDA E PRÁTICA – UM GUIA SEM RODEIOS PARA A MÃE DE PRIMEIRA VIAGEM”:

PARA COMPRAR O LIVRO, CLIQUE:

Amazon: https://amzn.to/2S6NI8P
Livraria da Travessa: http://bit.ly/2PMLj10
Venda online com entrega em todo o Brasil