Categorias: Coluna Desenvolvimento Infantil

Meu filho precisa de fono?

Compartilhe:
pin it

Muitas crianças começam a falar com um ano de idade e aos 2 anos elas são capazes de formar frases. Mas não podemos esquecer que cada criança tem seu tempo e precisamos respeitar isso. Alguns fatores influenciam o processo de linguagem, como estímulos deficiências neurológicas e até mesmo o sexo da criança. Mas quando sabemos que precisamos consultar um fonoaudiólogo?

Nesse post, nossa especialista e colunista Raquel Luzardo, explica quando a criança precisa de fono e quais sinais indicam isso. Confira!

Meu filho precisa de fono?

Para responder a esta pergunta, primeiro precisamos entender em quais áreas o Fonoaudiólogo atua. O fonoaudiólogo é o profissional responsável pelas áreas de prevenção, avaliação e reabilitação de aspectos relacionados à comunicação humana, audição, linguagem oral e escrita, voz, fluência, funções de mastigação, respiração e deglutição. Ufa! Bastante coisa, né? Assim, as pessoas que apresentam dificuldades em algumas destas áreas devem ser encaminhadas para uma avaliação fonoaudiológica.

Muitos pais observam alterações na linguagem e fala dos filhos, mas não conseguem identificar se estas são normais ou se precisam de intervenção fonoaudiológica.  Hoje vou explicar um pouquinho sobre o desenvolvimento normal, o que vai facilitar na hora de identificar se a criança precisa ou não de tratamento com fonoaudiólogo.

O desenvolvimento da linguagem é um processo individual e com muitas particularidades, mas em geral há alguns marcos que ajudam a perceber se a criança apresenta um atraso ou não.  A maioria das crianças começa a falar a partir dos 12 meses, e com 2 anos é esperado que elas sejam capazes de comunicar-se com palavras e frases simples. Dos 2 aos 3 anos, há o aperfeiçoamento dos fonemas, com diminuição das trocas de sons, as frases ganham maior complexidade, e elas já conseguem manter um diálogo. Com 3 anos, as crianças já são bem tagarelas!

Leia também: meu filho não fala, o que fazer?

As trocas de sons na fala são muito comuns na infância e nem sempre precisam de tratamento fonoaudiológico. É normal que durante a aquisição da fala a criança apresente algumas trocas de fonemas (trocando um fonema mais difícil de pronunciar por um mais fácil – por exemplo, o R pelo L). Porém, é esperado com o tempo as crianças deixem de cometer estas “simplificações” e passem a produzir os sons corretamente. Com 4 anos a criança já é capaz de produzir todos os fonemas corretamente e sua fala deve ser completamente inteligível.

Outra questão apresentada por crianças em seu desenvolvimento é o ceceio, popularmente conhecido como “língua presa” (mas que de presa não tem nada, a língua está é “solta!”), que é quando ocorre a distorção de alguns fonemas (em geral S e Z) – a língua fica entre os dentes na produção destes sons. Geralmente esta alteração na fala está relacionada a alterações na respiração, mastigação e deglutição e é necessário acompanhamento com fonoaudiólogo.

Os sinais de alteração na respiração são provavelmente os mais fáceis de identificar. As crianças com dificuldades na respiração geralmente passam bastante tempo com a boca aberta e com o nariz congestionado, acordam cansadas, mastigam com a boca aberta, babam quando dormem, roncam… Isso indica um padrão incorreto de respiração (respiração oral ao invés de nasal).

CONHEÇA MEU LIVRO: “GRÁVIDA E PRÁTICA – UM GUIA SEM RODEIOS PARA A MÃE DE PRIMEIRA VIAGEM”:

PARA COMPRAR O LIVRO, CLIQUE:

Amazon: https://amzn.to/2S6NI8P
Livraria da Travessa: http://bit.ly/2PMLj10
Venda online com entrega em todo o Brasil

Veja mais!