Ovulação e menstruação depois do parto | Macetes de Mãe
Ovulação e menstruação

Ovulação e menstruação depois do parto


11 de novembro de 2018

Mamães, hoje vamos falar aqui de uma dúvida bem comum entre nós: ovulação e menstruação depois do parto. Quando voltamos a menstruar e a ovular após o nascimento do bebê?

Eu já disse AQUI que isso varia de mulher para mulher, mas para explicar mais sobre o assunto, convidei a Dra. Maria do Carmo, diretora Médica do Centro de Reprodução FERTIPRAXIS. Nesse texto, a Dra. explica o que acontece com o nosso útero no período pós-parto e fala sobre aquele sangue que soltamos por alguns dias após o parto. E a importância da mulher se cuidar caso perceba que a menstruação voltou. Sim, porque se a mulher volta a menstruar, é sinal que também voltou a ovular. E a chance de engravidar novamente aumenta.

Ovulação e menstruação depois do parto

Seu bebê acaba de nascer, você passou de gestante para parturiente (em momento de parto) e, agora, é uma puérpera (em pós-parto). Para o obstetra são períodos distintos de atenção: até o décimo dia, de 11-45 dias e além deste período. Por que esta diferença? Porque você vai apresentar em seu organismo várias transformações simultâneas, afinal, como disse, você acaba de ganhar um bebê!

O seu útero tem de se ajustar à diminuição do volume, toda a parte cardiovascular vai se adaptar à diminuição da carga que havia para fazer a circulação do sangue desde os membros inferiores, seu conteúdo abdominal diminuiu, seu intestino e órgãos internos vão deixar de serem pressionados. E, o mais importante, a cada momento a partir da saída do bebê a fisiologia do organismo da mulher se volta para a preservação do filho. É o preparo para a amamentação, que vai se iniciar tão logo este contato bebê-mãe se estreite. Por isto se diz que “é da natureza”, por isto é tão desejável que você tenha tranquilidade, repouso, boa alimentação, boa ingesta líquida, carinho e suporte nestes períodos. Seu bebê precisa de você e você precisa se acostumar a tê-lo por perto e conhece-lo melhor a cada dia.

No puerpério imediato, os dias iniciais, o útero rapidamente involui e há um sangramento que vai diminuindo ao longo dos dias. Faz parte do processo de retorno, com uma contratilidade que você percebe quando o bebê suga o peito. Que incrível a “natureza”: porque os níveis hormonais de estrogênios e progesterona caem pelo desaparecimento da placenta, aumenta a prolactina que é decisiva na produção do leite, ajudada pela ocitocina que é estimulada pela sucção do bebê (e, que esperta, ajuda o útero a voltar ao seu normal).

Leia também: como saber se estou ovulando?

Assim, este sangramento puerperal não é menstruação e se você seguir amamentando ele vai progressivamente desaparecendo. A mulher, então envolvida com o bebê e a amamentação, de modo geral tem a libido bem diminuída, os níveis dos estrogênios (o principal hormônio feminino) se mantêm baixos, a região genital fica meio ressecada, pois os seus ovários não retomam o funcionamento completo tão prontamente. Dos 11 dias do parto em diante volta a haver alguma produção de estrogênios, mas o retorno da menstruação tem prazos diferentes entre mulheres. Quem amamenta pode demorar mais para menstruar, até alguns meses, enquanto este retorno menstrual pode chegar em média em um mês e meio pós-parto, se por algum motivo não foi possível sustentar a amamentação.

E qual o problema de menstruar? Bom, aqui o grande ponto é que a volta da menstruação significa que você voltou a ovular… e está de volta à exposição de possibilidade de engravidar! Portanto, olho vivo!

Quando a mulher está amamentando de uma maneira geral, olha aqui a fisiologia (ou a “natureza”) de volta, o interesse sexual está bem diminuído. Não só a baixa dos estrogênios, mas a concentração no bebê e suas demandas consomem o tempo, dias e noites. Mas, amiga, cada pessoa é uma pessoa, cada casal é um casal. Às vezes dá aquele tempinho, uma brechinha, o bebê está quietinho, o seu parceiro estava fazendo falta, ele também está querendo e por perto… então é bem importante ter cuidados.

Leia também: tudo o que você precisa saber antes de engravidar

“Ah, mas nem ainda menstruei, não há perigo”, é o que eu e os obstetras escutamos. Entretanto, se a ovulação volta a ocorrer em alguém que não está utilizando alguma prevenção e estava sem menstruar após o parto, amamentando ou não, só vai significar menstruação ou só vai definir a presença de uma gravidez após duas semanas. Aí, já era!

Já vi, e não foi só uma vez, alguém dizer que “não ia se preocupar, que se acontecesse estaria bem”. Uma delas foi paciente que tinha engravidado após 14 anos tentando e somente depois de uma fertilização in vitro. Quando recomendei a anticoncepção riu e disse que eu estava exagerando. Engravidou com um mês e meio amamentando e teve um novo parto antes do primeiro bebê completar um ano. Que tal?

Sua ideia de família não inclui um bebê só? OK, mas vamos deixar passar um tempo, planejando tudo vai mais tranquilo para você. Como se prevenir? Se ocorrer uma relação, camisinha por perto. Se você não quiser correr riscos, uma pílula com apenas progesterona pode ser iniciada a qualquer momento pós-parto e não vai atrapalhar a sua amamentação nem prejudicar o bebê. Ainda que sejam recomendadas mais frequentemente na revisão de um mês do parto, podem ser iniciadas desde a alta do hospital. Segurança anticoncepcional é o que vale mais!

E você também pode colocar um diu, um dispositivo dentro do útero que vai protege-la de uma nova gravidez, ao menos enquanto isto for de seu interesse. Novamente, ele pode ser inserido até imediatamente após o parto ou após um mês. Os métodos de prevenção incluem várias possibilidades. Sempre haverá um adequado para cada mulher e de acordo com a sua história clínica. Cuide-se!

Assista também esse vídeo, no Canal MdM, menstruação pós- parto:

Você já conhece o Canal Macetes de Mãe no Youtube? Ou já segue o Macetes de Mãe no Instagram? Não perca as nossas dicas nessas redes sociais também.