Pensamentos que toda mãe separada tem, ao tentar voltar a namorar | Macetes de Mãe

Pensamentos que toda mãe separada tem, ao tentar voltar a namorar


7 de janeiro de 2020

Uma etapa muito difícil na vida da mãe, é quanto o casamento não dá certo e passa por um divórcio. Mas depois de toda a fase ruim, há um momento em que toda a dor ameniza, a nova rotina acostuma e a mãe se vê disposta a voltar a viver, inclusive namorar.

Neste texto podemos conferir uma reflexão sobre esse período, com algumas dicas importantes para viver melhor essa nova fase. Uma livre tradução extraída do site Babble. Confira, você vai gostar!

Pensamentos que toda mãe separada tem, ao tentar voltar a namorar

Por Katey Distefano

Recentemente cheguei ao ponto da minha vida pós-divórcio, onde finalmente me senti pronta para namorar novamente. E aos poucos, com muito cuidado, penso em mergulhar de volta na lagoa do namoro.

Eu gostaria de poder dizer que essa volta fosse bastante natural – como voltar a andar de bicicleta. Mas meu Deus, isso seria uma mentira.

Digamos que tem sido uma luta tão, tão real. E não sei se já vi algo parecido na TV, como naquela série Single Parents (Pais Solteiros). Aquela em que um grupo de pais tenta navegar pelas águas agitadas da paternidade solteira, enquanto aprendem com essa nova situação.

É hilário, digno de pena e é… o tipo de minha vida agora.

Não me interpretem mal. Estar de volta ao “mercado” após um casamento fracassado não é totalmente ruim. Mas definitivamente existem alguns novos obstáculos a serem enfrentados nessa fase. Obstáculos que eu poderia ter passado pela última vez em que estive namorando – que foi há… 18 anos.

E então tem um monte de perguntas que giram na minha mente. Coisas como:

1. Aventuro-me nessa coisa de namoro on-line, ou testo meu destino no mundo real?

A última vez que namorei, não era apenas Bill Clinton nosso presidente, mas a Internet ainda era apenas uma “coisa”. (Sim, pense nisso por um segundo.)

Se você queria conhecer um cara decente, tinha que esperar que isso acontecesse à moda antiga – em um bar ou através de um amigo. Agora há Match, Bumble, Tinder e Hinge (apenas para citar alguns), e você basicamente precisa se anunciar como um “carro usado” no eBay.

Quantos caras se interessam pelo meu perfil, se ele diz: “Gosto de tomar sorvete direto da caixa e adormecer no sofá de moletom?”

…Algum interessado?

Além disso, ficará melhor se eu lhes contar o quão alto eu ronco agora? Como o sortudo vai precisar daqueles abafadores de ruídos para passar a noite aqui. Talvez eu devesse omitir essa informação…

2. Estou estragando meus filhos se começar a namorar muito cedo?

Agora não sou a única afetada por minhas atividades extracurriculares e, além disso tudo ser novo para mim, também é novo para meus filhos.

A questão de quanto tempo é cedo demais para voltar lá fora definitivamente está na minha cabeça. Mas o mesmo, vem outra pergunta: quanto tempo devo esperar? (Quero dizer, eu tenho teias de aranha em lugares onde não deveria haver teias de aranha, entendeu?)

Até agora, aprendi que namorar tendo filhos exige honestidade. Informe-os que você está pronta e pergunte como eles se sentem sobre isso. E então vá.

3. Com licença, de quem são esses peitos?!

Namorar na casa dos 40 significa trazer um monte de coisas novas (e potencialmente estranhas) com você para um relacionamento.

A última vez que um homem viu meus seios, foi em 1998 e meu corpo ainda não tinha marcas do parto ou da amamentação. Ah, claro, e eu não tinha rugas. E outras coisas mais.

Agora posso ver a cena… estou em um encontro romântico em um restaurante chique. Eu acho que as coisas estão indo bem, afinal, estamos nos dando bem. Então ele se inclina para o que eu acho que é um doce primeiro beijo, mas em vez disso, ele me entrega um guardanapo e sussurra: “Você tem um purê de batatas no queixo”.

4. Existe algum homem decente por aí, ou todos eles são mercadorias danificadas?

Minha terapeuta realmente sugeriu que eu não namore ninguém que nunca tenha sido casado ou que não tenha tido um relacionamento sério nos últimos cinco anos. E com base no que aprendi com a cena de namoro até agora, esse é um conselho muito sábio.

Também aprendi que muitos homens e mulheres que estão entrando novamente na cena do namoro estão em um barco semelhante ao meu. Os casamentos deles simplesmente não deram certo.

Mas também me deparei com outras pessoas que nunca foram capazes de se comprometer ou são divorciadas e que não querem se amarrar novamente. Por isso o conselho: CUIDADO com os dois últimos. Existem bons homens (e mulheres) por aí, mas será preciso uma pesquisa minuciosa para encontrá-los.

5. Espere… estou em condições de namorar?

Não há nada fácil no divórcio; especialmente quando você tem filhos. Passei muito tempo no último ano lamentando meu casamento, questionando meus pais e tentando avançar para um novo papel como mãe solteira. Tudo isso enquanto tentava criar uma mentalidade saudável para mim.

Voltar à cena do namoro pode não ser tão difícil no começo, mas ser capaz de se comprometer de novo com certeza é – especialmente depois de se machucar em outro relacionamento.

Então, como você pode ter certeza se está realmente pronta para voltar para lá? A resposta é curta e basicamente o que você já ouviu quando você se apaixonou: quando você sabe, você sabe. Dito isto, a linha do tempo de todos é diferente, portanto, vá com calma se você estiver se movendo em um ritmo mais lento do que seus amigos parecem achar “normal”. Apenas tente seguir em frente – mesmo que seja dando passos de bebê.

6. E se tudo realmente acontecer por uma razão?

Após o divórcio, há uma boa chance de você ouvir a seguinte frase: “tudo acontece por uma razão”, de amigos e familiares mais do que algumas vezes. Ou a minha favorita: “quando uma porta se fecha, outra se abre.”

O problema é que elas são meias verdades.

No começo, é muito doloroso e complicado até começar a enxergar além da tempestade. Mas à medida que o tempo passa e você começa a se curar, você começa a perceber que há um vislumbre da verdade na ideia de que talvez, apenas talvez, algo melhor realmente esteja à sua frente.

Apenas fique aí, e tenha um pouco de fé – e uma boa dose de humor – por enquanto. E saiba que farei o mesmo.