Por que eu amo o 'quarto trimestre' (mesmo com meu corpo inteiro doendo) | Macetes de Mãe

Por que eu amo o ‘quarto trimestre’ (mesmo com meu corpo inteiro doendo)


4 de junho de 2019

Você já ouviu falar no quarto trimestre? Os três trimestres da gravidez todo mundo já está acostumado a ouvir, mas há também o chamado ‘quarto trimestre’ que é o período logo após o nascimento e ainda traz diversos marcos de desenvolvimento para a mãe e para o bebê.

Neste texto, uma livre tradução extraída do site Scary Mommy, conheça o relato das vantagens deste período tão importante na vida da nova mãe. Divirta-se!

Por que eu amo o ‘quarto trimestre’ (mesmo com meu corpo inteiro doendo)

Por Rochaun Meadows-Fernandez

Durante a gravidez, passamos um bom tempo falando sobre os próximos marcos de trimestre para trimestre. Alguns deles são emocionantes, como o primeiro ultrassom em que você pode ver o “bebê”. Outros marcos são menos empolgantes, como o teste de glicose, mas permitem que você saiba como as coisas estão caminhando. Já faz quase um mês desde que dei à luz, e estou oficialmente no quarto trimestre. Mesmo que eu não esteja mais grávida, ainda estou passando por marcos relacionados ao nascimento. Agora, estou aguardando, vendo meu corpo voltar ao normal e conhecendo nosso último ato da gravidez.

Meu corpo dói inteiro, mas estou super animada. E aqui está o porquê:

1. Não fazer mais xixi constantemente

As palavras não podem expressar o quanto estou animada por não ter que fazer xixi o tempo todo. Enquanto grávida, eu tinha que fazer xixi a cada 5 minutos (e isso não é um exagero). Estou mais do que pronta para minha bexiga voltar ao seu tamanho normal sem nenhum projeto de bebê usando-a como um pula-pula 24 horas por dia.

2. Dormindo no meu estômago

Pode parecer uma coisa pequena, mas eu senti falta de alguém dormir no meu estômago. Enquanto eu estava grávida, minhas opções de sono eram extremamente limitadas. Os primeiros dois meses foram fáceis, não tiveram solavancos e eu pude me safar. Mas com uma barriga de cinco meses já despontando, a hora de dormir tornou-se pavorosa.

Por quase meio ano, fui forçada a dormir desconfortavelmente de ambos os lados. Claro, isso parece um pequeno inconveniente se compararmos com o ato de trazer uma vida tão bela ao mundo. No entanto, para mim, uma dorminhoca-nata ao longo da vida, que estava exausta pela gravidez e maternidade, este processo foi um inferno.

Agora que meu doce bebê está do lado de fora, posso dormir do jeito que eu quiser. (Mesmo que seja em intervalos muito curtos).

Leia também: Recuperação pós-parto – quais os cuidados a mulher deve ter

3. Trazendo minha sensualidade de volta

Como a maioria das grávidas, eu estava pouco animada com o peso que ganhei durante a gravidez. Às vezes, retornar ao trabalho normal parece ridiculamente lento. Demorou um pouco para aceitar que ganhei mais de 20 quilos nessa gestação. Felizmente, eu tenho um marido que me apoia e garantiu que eu era bonita e não estava passando por todas essas mudanças sem motivo. Ainda assim, mal posso esperar para melhorar meus hábitos alimentares e de condicionamento físico para poder recuperar minha sensualidade.

4. Redescobrindo-me

Ao mesmo tempo, vale a pena reconhecer que minha sensualidade poderia ter mudado nos últimos meses. Quem sabe o que acontecerá nos próximos seis meses? É possível que meu corpo nunca seja do mesmo tamanho que antes de ter filhos. É importante aprender a viver com essa possibilidade.

As maiores chances são de que eu tenha que estabelecer um novo relacionamento com meu corpo. Minha barriga caída pode se tornar minha melhor amiga. Minhas coxas poderão ser mais grossas daqui em diante. E eu entendo que será ainda mais difícil atingir minhas metas de condicionamento físico com a responsabilidade de dois filhos. Eu não espero que seja fácil e não vou me ater a padrões impossíveis.

5. Conhecendo meu bebê

E por último, mas certamente não menos importante, estou ansiosa para conhecer meu bebê. Os últimos nove meses foram crescendo e agora é hora de conhecê-lo. A maternidade me mudou e eu gosto de pensar que essas mudanças são para melhor. Agora que sou mãe de dois filhos, o verdadeiro trabalho começa. Se eu quiser continuar a crescer em minhas habilidades e compreensão da maternidade, tenho que trabalhar para entender meus filhos como uma unidade e como indivíduos.

Que venha o quarto trimestre! Estou pronta.