Qual travesseiro escolher para bebê? | Macetes de Mãe
Qual travesseiro escolher para bebê

Qual travesseiro escolher para bebê?


13 de julho de 2019

Um item que quase ninguém dá muita bola e não pode faltar no enxoval do bebê, é o travesseiro. Tudo bem que a criança não usará o travesseiro nos primeiros 12 meses de vida, mas depois vai usar sim. E precisa ser adequado para a criança. Mas qual travesseiro escolher para o bebê?

No post de hoje, você confere o que levar em consideração na hora de escolher o travesseiro para o seu bebê. Quem explica tudo sobre o assunto, é nossa colunista, a pediatra Dra. Mariana Oliveira.

Qual travesseiro escolher para o meu bebê?

A espera de um bebê sem dúvida é um momento muito especial!

Assim que se descobre a gravidez já se inicia um momento de muita expectativa. Nesse momento, várias programações são iniciadas, muitas coisas existem para pensar. Entre elas, é comum surgir à dúvida sobre o enxoval do bebê.

O que comprar, onde comprar, o que é importante, o que é supérfluo: muitas dúvidas são comuns. E hoje vamos conversar sobre esse item que vai nos acompanhar por toda a vida: o travesseiro!

O momento do sono do bebê é muito importante se pensarmos sobre diversos aspectos. Desde o aspecto biológico, pois o sono é importante para o desenvolvimento do cérebro e do sistema nervoso do bebê. Inclusive, até para o aspecto familiar! Pois uma noite de sono bem dormida (ou mal) influencia todos os integrantes da família.

Quando falamos em escolher o travesseiro para o bebê, precisamos lembrar que a estrutura corporal do bebê é diferente do adulto. O tamanho da cabeça é maior e desproporcional ao corpo. Isso vai se modificando conforme vem o crescimento, mas no primeiro ano de vida isso é muito marcante.

Nesse sentido, qual a recomendação?

A recomendação é que bebês nos primeiros doze meses de vida não têm necessidade de travesseiro.

O quê? Mas coitado do bebê, vai ficar desconfortável.

Ao contrário! Devido à estrutura corporal que falamos acima, com o uso do travesseiro a cabeça fica muito mais elevada em relação ao corpo, causando desconforto.

O ponto mais positivo disso é que não ter o travesseiro no berço é um objeto a menos no berço, o que diminui o risco de sufocamento. Aliás, vale lembrar que a posição ideal para o bebê dormir nos primeiros meses de vida é de barriga para cima, para evitar o evento chamado de morte súbita do lactente.

Existem algumas controvérsias nesse tema, com algumas referências afirmando que após os 6 meses de vida já se poderia usar o travesseiro, mas com a ressalva de que, se for usado nessa idade, deve ser fino com no máximo 3 centímetros de altura, pelo mesmo motivo da estrutura corporal.

Ah! Em algumas situações especiais, podem ser necessários travesseiros específicos que ajudem no modelamento da cabecinha. Sim, é muito comum o bebê nascer com o formato irregular da cabeça, devido à passagem no canal de parto, seja parto normal ou até parto cesárea. A cabeça do bebê por ter as “moleiras” abertas pode sofrer deformações, sendo a maioria quase imperceptível, mas em alguns casos são mais importantes. Nesses casos, deve ser avaliado por pediatra, que pode sugerir um travesseiro especial que acomode melhor a cabecinha e contribua para voltar ao formato habitual. Em qualquer caso, importante variar o lado de apoio da cabeça enquanto o bebê dorme, evitando “vícios de posição” que podem também levar a alguma deformidade.

Bom, mas e quando chegam os 12 meses, como escolher?

É importante reforçar que esse é um item individual e pode haver diferenças de pessoa para pessoa. Principalmente, também entre as crianças. O importante é que a altura deve ser adequada: cabeça, pescoço e coluna devem ficar alinhados, quando se deita de lado. Então vale a pena experimentar para ver se o tamanho é correto.

Em relação ao material, depende de algumas especificidades. É importante evitar travesseiros de penas e plumas, dando preferência a tecidos respiráveis, como o percal. Modelos sintéticos e antialérgicos são mais indicados para doenças respiratórias crônicas.

Se a criança dorme de barriga para cima, dê preferência a travesseiro fino. Proteger o travesseiro com capas e protetores é interessante para aumentar a durabilidade e facilitar a higienização, lembrando que é importante arejar uma vez por semana, e que a forma de limpeza pode variar conforme o fabricante.

Leia também: travesseiro antirrefluxo – o que é e para que serve?

Em relação às fronhas, prefira sempre as 100% algodão, mais naturais, menos alergênicas e mais fáceis de limpar. Devem ser lavadas com sabão de coco ou sabão neutro, como os demais itens de vestuário do bebê.

Existem os chamados “travesseiros antissufocamento”, que são travesseiros que tem na sua superfície alguns furinhos. São feitos de espuma vazada, possibilitando que a criança consiga respirar caso fique com a face virada para ele.

Já que estamos nesse assunto, vamos só comentar um pouquinho sobre o colchão. Esse deve ser firme para a posição do corpo ficar distribuída de maneira uniforme, e lembre-se de retirar a embalagem plástica.

O colchão mais indicado é o de espuma, sendo que a densidade varia com o peso e a altura, mas, de maneira geral, até os 3 anos pode ser usada a densidade 18. Como no caso do travesseiro, usar protetor de colchão para maior durabilidade, e lembrar sempre de trocar o lado para o mesmo motivo!

Como informação complementar veja o vídeo: Qual travesseiro meu bebê deve usar?

Para mais informações ou qualquer dúvida que ficou, pode deixar nos comentários do vídeo aqui. Obrigada, e até breve!

vacina de reforço

CONHEÇA MEU LIVRO: “GRÁVIDA E PRÁTICA – UM GUIA SEM RODEIOS PARA A MÃE DE PRIMEIRA VIAGEM”:

PARA COMPRAR O LIVRO, CLIQUE:

Amazon: https://amzn.to/2S6NI8P
Livraria da Travessa: http://bit.ly/2PMLj10
Venda online com entrega em todo o Brasil