Regras de segurança do berço | Macetes de Mãe

Regras de segurança do berço


18 de agosto de 2019

É mais comum do que imaginamos os acidentes que envolvem berços. Por isso, há regras de segurança do berço. Ainda se vê, por exemplo, muitas famílias usarem o kit berço. Tanto a Sociedade Americana de Pediatria quanto a Sociedade Brasileira de Pediatria são contra o uso desse acessório pelo risco que ele representa às crianças.

O principal motivo pelo qual o seu uso é contra-indicado é o risco de sufocamento, já que a criança pode se mover dentro do berço, chegar muito próxima do acessório e sufocar-se caso ele cubra total ou parcialmente o seu rosto (esse também é o motivo do uso de cobertores, edredons, mantas, travesseiros, pelúcias e brinquedos ser contra indicado dentro de berços). Mas tem outros motivos, como já citei nesse post AQUI.

No post de hoje, a nossa querida colunista, Marcia Horbacio, especialista em sono infantil, compartilha as normas de segurança. Confira!

Estão esquecendo a proteção: regras de segurança do berço

Hoje vou escrever um artigo como um alerta. Muitas mamães estão se descuidando das regras de segurança do berço.  E os índices de morte súbita do bebê  estão declinando muito mais lentamente do que em meados dos anos 90 quando as regras de segurança do sono foram anunciadas.

De acordo com o órgão americano “Centers for Disease Control and Prevention”, em 2017 foram 3.600 mortes de bebês menores de 1 ano nos Estados Unidos, por sufocação no berço, Síndrome da Morte Súbita do Lactente e causas desconhecidas.

Infelizmente é bastante comum eu pedir fotos dos quartos dos bebês e as mamães me mandarem aquele berço lindo, cheio de protetores almofadados, mantas, rolinhos, bichinhos de pelúcia e edredons. Todos esses artigos podem ajudar o bebê a dormir porque fica mais quentinho, mais aconchegadinho, e com isso mais relaxadinho. Mas, mamães, os bebês ficam mais desprotegidos também! Por isso, não podemos nos esquecer que o berço seguro para um bebê de até um ano não pode ter nada dessas coisas!

Vamos então relembrar as normas de segurança segundo a Stanford Children’s Health:

  • Fazendo um bom acompanhamento pré-natal, evitando drogas, cigarros, tendo uma boa alimentação você vai diminuir os riscos de partos prematuros. Bebês de baixo peso tem maior risco da SMSL.
  • Colocando o bebê para dormir de barriga para cima até 1 ano e colocar o bebê em outras posições para se exercitar durante o tempo que estiver acordado porque fortalece a musculatura.
  • Usar roupas de cama apropriadas: Lençol firme e lisinho, bem colocado dentro do colchão e nada de cobertas, mantas ou protetores almofadados.
  • Cuidado para não aquecer demais o bebê. O quarto deve ser bem ventilado.
  • Partilhando o quarto com o bebê até um ano de idade se possível mas com certeza até seis meses de idade.
  • Partilhando o quarto mas não a mesma cama.
  • Não permitir que fumem perto do bebê.
  • Levar o bebê para consultas médicas com frequência e manter em dias as vacinas.
  • Amamentação é proteção também!
  • Considere usar a chupeta depois que a amamentação estiver bem estabilizada para o bebê dormir somente. Pesquisas mostram que porque o bebê suga de vez em quando, ele não fica em sono profundo demais durante muito tempo, o que pode fazer com que acorde no caso de algum perigo. (Por exemplo estar com o nariz muito perto do colchão.) Como sabemos que para a amamentação não é uma dica ideal, converse com seu médico que deverá ajudar você a avaliar os prós e contras.
  • Não usar posicionadores de bebês.
  • Não usar monitores de respiração a menos que o médico indique.
  • Sempre colocar os berços, moisés, chiqueirinhos ou outros lugares que o bebê vai dormir longe de cordões de cortinas.

Mamães, isso é coisa séria!  Vamos prestar atenção para todos dormirmos tranquilos!

Assista também, no Canal MdM, esse vídeo com 10 dicas para escolher o berço: