Dicas para mães que querem abrir um negócio em casa

7 dicas para quem quer trabalhar em casa


20 de agosto de 2013

Eu sempre gosto de começar os meus posts contando uma historinha. Na verdade, historinhas que viram verdadeiras trilogias, de tanto que enrolo algumas vezes, mas é mais ou menos isso.

Pois bem, o post de hoje eu poderia, com toda certeza, iniciar com duas introduções. Uma delas contando que sempre tive o sonho de ter um negócio próprio e que foi justamente a chegada da maternidade que, de forma quase nada planejada (não a maternidade, mas o que ela trouxe) acabou me propiciando isso e a outra comentando sobre o sem número de leitoras que me escrevem frequentemente pedindo dicas para iniciar um negócio próprio.

Sim, eu mesma, levada pela vontade de ficar mais perto do Léo e também de realizar um sonho antigo  me tornei uma integrante do movimento do empeendedorismo materno através desse humilde blog, que é hoje a minha fonte de renda (além de prazer, para minha sorte). E eu mesma sou consultada por outras mães que querem fazer o mesmo, seguir uma carreira solo, sem chefe no pé e correndo atrás do filho sempre que for necessário.

Bom, só que é tanta coisa para falar sobre isso, tanto ponto para discutir, levantar, analisar e tento dedo na ferida para meter que resolvi fazer uma série de posts sobre o tema empreendedorismo materno.

O de hoje será o primeiro (jura? não tinha percebido!). Aquele que muitas leitoras já estão esperando há algum tempo. Aquele no qual eu vou dar algumas dicas para quem pensa em abrir um negócio próprio, que pode ser administrado de casa, para poder ficar mais perto dos filhotes. Depois, pouco a pouco, vou levantando outras questões, como qual o caminho a seguir para abrir uma empresa, quais os prós e contras de se trabalhar em casa (sim, gente, há contras!), e por aí vai.

Espero que curtam esse primeiro texto sobre esse tão importante e esperado (por muitas leitoras) assunto. Quem tiver alguma dúvida ou sugestão, é só deixar nos comentários abaixo que eu tento atender (no caso da dúvida) e prometo aproveitar (no caso da sugestão).

E aqui vão as minhas dicas…

Dica um: Você tem uma grande paixão? Um grande talento? É bom com as palavras, com as mãos, é boa na cozinha? Se você tem um talento único, aproveite nesse momento da sua vida. Sim! Isso mesmo! Nada melhor para se ganhar dinheiro do que fazendo algo que se gosta e que se faz bem. Eu nunca acreditei muito que escrevia bem, até porque venho de uma faculdade de comunicação onde tinha colegas excepcionais na arte da escrita, mas de tanto ouvir daqui e dali que eu devia escrever um blog sobre maternidade e de tanto ouvir que sou boa contadora de histórias, resolvi arriscar. Na verdade, eu sempre gostei muito de ler e de escrever e aí vi esse blog muito mais como uma terapia, uma forma de ocupar o tempo fazendo algo que gosto e de organizar os meus pensamentos. Só que aí, com o passar do tempo, de tanto fazer algo que gostava, acho que acabei fazendo bem, conquistando seguidoras e encontrando no blog uma oportunidade de negócio. Quem sabe isso não acontece com você? Hein!? Já pensou nisso? Seu hobby pode virar seu trabalho e aí, minha filha, você nunca mais vai trabalhar na vida, pois tudo será diversão (mentira, tem muito trabalho árduo por trás, mas o prazer compensa).

Dica 2: Qual é a sua profissão? Você pode seguir na sua profissão trabalhando de casa? Eu, por exemplo, sou publicitária, relações públicas, organizadora de eventos e marketeira (isso tudo por formação e experiência) e poderia muito bem ter trabalhado como freelancer em todas essas áreas, mas acabei optando pelo blog porque é onde consigo empregar um pouco de todo esse conhecimento de uma forma que me dá ainda mais prazer. Mas se esse também é o seu caso, não deixe de aproveitar. Afinal, ninguém precisa reinventar a roda né? Basta fazer o que você já faz, só que de casa. Se der, é claro! No início, é muito provável que você vai ganhar menos (muito menos, na verdade), mas todos os outros pontos positivos compensam.

Dica 3: Aproveite a sua nova experiência. É isso mesmo! Tem uma pá de mães que viraram empreendedoras justamente porque a maternidade trouxe muito aprendizado, conhecimento, experiência. Ou seja, elas abriram negócios voltados à puericultura, que é o universo que engloba tudo que diz respeito aos temas materno e infantis. Tem mamãe que abriu loja online de produtos infantis, que começou a organizar festa infantil, que abriu uma grife de roupas para gestante ou crianças e tem até mãe que virou blogueira da maternidade. Veja só! Tem de tudo! :-)

Dica 4: Não esqueça, NUNCA, que o negócio tem que ser rentável. Isso mesmo, também não adianta você trabalhar fazendo o que ama se essa sua nova profissão não lhe trouxer o mínimo de retorno financeiro para você manter as contas em dia. Por isso, antes de iniciar qualquer negócio, faça um pequeno plano de negócios. Dê uma olhada nos sites do Sebrae e da Endeavor que lá há várias informações que podem ajudá-la nessa jornada. Principalmente o site do Sebrae.

Dica 5: Pense grande, mas não espere ganhar muito dinheiro nos primeiros meses ou até anos. Grande parte dos negócios não dão lucro no primeiro ano. Na verdade, são até raros os que sobrevivem a esses 12 primeiros meses. Assim, não espere já de cara fazer o seu pé de meia. Tenha paciência! É necessário um tempo até você se tornar conhecida, conseguir clientes, esses clientes falarem bem do seu negócio e você começar a crescer.

Dica 6: Faça uso do seu networking. Na hora de pensar um negócio, imagine algo que você possa vender para a sua rede de contatos, amigos, familiares, vizinhos. Isso ajuda muito. E é até por isso que muitas mamães estão abrindo negócios voltados a bebês e crianças, porque seus amigos tem filhos também e podem ser potenciais consumidores de seus produtos ou serviços.

Dica 7: Considere a ideia de ter uma sócia. Sim, ter sócios num negócio, ainda mais quando se quer mais tempo livre para acompanhar o desenvolvimento dos filhos, pode ser uma ótima ideia. Se você resolver abrir algum negócio com uma amiga, familiar o conhecida, tente buscar alguém que tenha competências complementares às suas, assim, vocês tem condições de fazer o negócios se desenvolver com mais facilidade. E lembre-se: escolha muito bem com que fará a sociedade, pois ela pode fazer o sucesso ou o fracasso de um negócio.

Bom, agora que já fiz minhas considerações iniciais que, com certeza, devem ter colocado várias caraminholas e ideias na sua cabeça, vou levantar aqui (bem brainstorm mesmo. ok?) algumas ideias e sugestões de negócios que dá para fazer em casa aproveitando essa nova fase da vida. Por que essa nova fase da vida? Por que, com certeza, você não deve estar sozinha nessa, ou seja, inúmeros amigos e amigas também devem estar tendo filhos e poderão, com toda a certeza, serem potenciais clientes. Espero que as dicas ajudem e que muitas novas mamães empreendedoras apareçam por aí

Ideias relativas ao universo materno e infantil

  1. Serviço de buffet infantil – comidinhas para festas infantis
  2. Serviço de organização de festa infantil
  3. Serviço de decoração de festa infantil
  4. Confecção de bolos e doces para festas infantis
  5. Serviço de recreação para festas infantis (oficinas, contação de histórias, cantorias, etc…)
  6. Serviço de planejamento e decoração de quartos de bebês e crianças
  7. Produção de lembrancinhas de chá de bebê, maternidade e festas infantis
  8. Serviço de buffet para maternidade
  9. Serviço de fotografia/filmagem especializada em bebês, crianças e festas infantis
  10. Aula particular para crianças (de todo o tipo de conteúdo)
  11. Serviço de nutrição para bebês e crianças
  12. Serviço de preparo de papinhas e pratos saudáveis para bebês e crianças
  13. Revenda online de artigos infantis
  14. Serviço de personal shopper & organizer (preparando tudo para a chegada do bebê, desde a compra até a organização do enxoval)
  15. Serviço de consultoria em amamentação (há cursos que ajudam nesse preparo)
  16. Serviço de fisioterapia especializada em bebês e crianças
  17. Terapia ocupacional especializada em bebês e crianças
  18. Cursos para gestantes (ensinando os detalhes do dia a dia para cuidar de um bebê – banho, troca de fraldas, cuidados com o sono, rotina, etc…)
  19. Cursos para babás
  20. Cursos de gastronomia e nutrição ensinando o preparo de papinhas e pratos para criança
E você? Tem alguma sugestão? Deixe nos comentários abaixo! Eu e outras mamães vamos adorar ouvir as suas dicas.