Crianças que estudam de manhã têm mais chance de doenças? | Macetes de Mãe
Crianças que estudam de manhã

Crianças que estudam de manhã têm mais chance de doenças?


2 de fevereiro de 2019

O Ano letivo está começando! A maioria das crianças em idade escolar já devem estar matriculadas, mas muitas mamães me perguntam o que é melhor: crianças que estudam de manhã ou à tarde? Porque muitas mamães acreditam que crianças que estudam de manhã ficam mais suscetíveis a doenças.

Sei que se a criança estuda de manhã, precisa ir para cama mais cedo na noite anterior. Isso para não ter seu sono e rendimento escolar prejudicados. Mas será que ela corre o risco de ficar mais doente se estudar de manhã ou a tarde?

Para esclarecer essa dúvida, conto com a ajuda da Dra. Marcia Toraiwa, pediatra e colunista aqui do Macetes de Mãe. Confira!

Estudar de manhã aumenta o risco de doenças?

Começo de ano, todos se preparando para a volta às aulas e alguns pais se perguntam se o período do dia em que a criança estuda pode influenciar na frequência de doenças. Estudar de manhã e sair cedo de casa “tomando sereno”, “friagem” pode fazer mal? Ou estudar à tarde e voltar com aquele ventinho frio do fim do dia, pode fazer a criança adoecer?

Para responder a esses questionamentos, vale a pena tentar entender um pouco sobre o que faz com que nosso corpo adoeça. Um conceito que precisamos ter em mente é que não existe infecção sem um agente infeccioso. Aquela história de “choque térmico” que vai enfraquecer a criança e deixar ela doente não é verdadeira no nosso dia-a-dia. Inclusive, já existem estudos científicos que demonstraram que para uma mudança de temperatura causar diminuição da imunidade é preciso uma queda brusca de temperatura de 10℃ ou mais para causar redução brusca também da temperatura corpórea. Por isso, é importante conhecer os fatores que realmente influenciam na saúde da criança.

Fatores que realmente influenciam na saúde da criança

Alimentação

Ter uma alimentação equilibrada, bem variada e regrada (horários certos, sem períodos de jejum prolongado e sem ficar “beliscando” o tempo todo) contribui para que o corpo tenha a sua disposição todos os nutrientes necessários para manter seu sistema imune alerta e pronto para combater qualquer agente agressor.

Qualidade do sono

Um bom sono é repousante contribuindo para o melhor funcionamento do nosso sistema de defesa. Mas não basta dormir bem, tem que dormir na hora certa. Nosso corpo “sabe” quando é dia ou noite (ciclo circadiano) liberando hormônios e outras substâncias em quantidades variadas conforme o período do dia. A quebra desse ciclo (dormir de madrugada e acordar na hora do almoço) aumenta comprovadamente o risco de doenças cardiovasculares, por exemplo. Precisamos de um número mínimo de horas de sono em cada fase da nossa vida. Portanto, leve em consideração a rotina de sua casa na hora de escolher o período em que seu filho vai para a escola para garantir as horas de sono que ele precisa.

Atividade física

Praticar um exercício físico regularmente melhora a circulação sanguínea (as células de defesa conseguem chegar mais facilmente aonde forem necessárias), aumenta a capacidade respiratória proporcionando melhora da função das vias aéreas protegendo também contra as doenças respiratórias mesmo as não infecciosas como a asma. Além disso, reduz os níveis de stress que, em níveis elevados, reduzem a resposta de defesa de nosso corpo aumentando o risco de ficarmos doentes. Mas exercícios em excesso causam redução das respostas imunes. Cuidado com as agendas sobrecarregadas de atividades das crianças.

Vacinação

Na infância a chance de contrair doenças é muito maior do que na adolescência ou entre os adultos. Isso porque o sistema imune da criança ainda está em formação. As vacinas contribuem para a prevenção de doenças graves e de suas sequelas.

Leia também: entenda a importância de vacinar seu filho

Hábitos de higiene

Famílias que tem rigor extremo com higiene restringem o aprendizado do sistema imune do bebê ou da criança. Deixar o bebê explorar seus próprios brinquedos com a boca, engatinhar livremente pelo chão de sua casa, pisar descalço na grama, na areia da praia, ou no chão da área livre do prédio, pular nas poças de água da chuva, passar a mão no cachorro do vizinho sem sair correndo para lavar depois são pequenas exposições a germes que irão estimular a formação do sistema imune sem causar doença na maioria das vezes e assim mostrar ao nosso corpo quando e com que intensidade ele deve reagir a cada agressão, prevenindo futuramente até mesmo a manifestação de doenças alérgicas.

Mas tomar um bom banho 1 vez ao dia e lavar as mãos antes de comer, após usar o banheiro, após conter uma tosse ou um espirro, ou após limpar o nariz, são hábitos muito bem vindos. Eles previnem não somente que a criança fique doente, como evita que todos ao seu redor também adoeçam.

Portanto, não importa o período em que a criança vai para a escola, o que importa é levar uma vida saudável, bem equilibrada, evitando sempre os exageros.

Você já conhece o Canal Macetes de Mãe no Youtube? Ou já segue o Macetes de Mãe no Instagram? Não perca as nossas dicas nessas redes sociais também.