Os 10 itens menos usados do enxoval do Léo | Macetes de Mãe

Os 10 itens menos usados do enxoval do Léo


16 de fevereiro de 2013

Quando resolvemos fazer o enxoval do bebê a gente entra numa tal de uma empolgação que parece que o céu é o limite. Queremos comprar de tudo e mais um pouco, e como é para os nossos filhos (e não para nós), fazemos isso sem culpa. E se não tivermos o maridão para dar uma controlada, aí que o negócio desanda mesmo.

Bom, nem preciso dizer que isso aconteceu comigo. Para completar, fiz o enxoval lá fora, onde tudo é beeeeeeeeem mais barato, aí é claro que me passei bonito em algumas compras.

Bom, mas para evitar que vocês façam bobagem (pelo menos para que não façam as mesmas que eu fiz), eu trago hoje a listinha dos 10 itens do enxoval do Léo que eu menos usei até agora. Ou que até usei, mas que poderia ter sobrevivido muito bem com uma alternativa bem mais simples e barata.

Vamos lá, canetinha na mão anotando tudo para não cometer os mesmos erros:

1. Capa de chuva para bebê conforto:
Sim, eu resolvi que isso era super útil. Afinal, como é que seria se, quando estivéssemos saindo da maternidade, chovesse? E se chovesse no dia que a gente resolvesse passear. Bom, nesse caso era só esperar a chuva passar ou colocar uma mantinha sobre o bebê conforto. Nem pense em comprar esse negócio. Dinheiro jogado fora. Eu usei míseras duas vezes.

2. Aquecedor de mamadeira:
Olha, se meu marido ler isso aqui ele vai imprimir esse post e esfregar no meu narizinho todo santo dia. Ele me disse dezenas de vezes que não era necessário comprar esse negócio, mas na época, e no desespero, eu achei que era imprescindível. Quando fiz o enxoval fora eu não comprei, justamente porque me disseram que era melhor dar o leite em temperatura ambiente para o baby. Só que eu acabei tirando o meu leite e misturando com leite artificial para dar para o Léo na mamadeira (tive problemas para amamentar no início). E como o meu leite sempre estava guardado na geladeira, e como não pode aquecer leite materno no micro, só em banho maria, eu corri logo para comprar o aquecedor elétrico. Quer dizer, eu não, eu pedi para uma amiga que estava indo fazer o enxoval do baby dela fora e ela trouxe para mim (cara de pau!!! folgada! kkk!). De qualquer forma, minha amiga foi uma fofa e troxe, mesmo ele não sendo muito pequeno. E a tadinha acabou caindo na mesma roubada, porque quando viu que eu pedi para trazer para mim, ela também comprou para ela. Sorry pela furada, Fê!
Em suma, não vale a pena ter. Primeiro porque o ideal é dar o peito mesmo (só não dei peito exclusivo porque não consegui) e se não puder, o mais prático é dar o leite em temperatura ambiente. E se for o caso de aquecer (no meu caso era necessário “quebrar”o gelo do leite que estava na geladeira) dá para ficar com o bom e velho banho maria (só na madruga que fazer isso era um saco!).

3. Ovelhinha Sleep Sheep:
Olha eu aqui cuspindo no prato que comi. E comi e me esbaldei! Eu usei horroooooores essa ovelhinha. Muito mesmo. Na verdade , o Léo só dormia com ela. Mas então porque eu estou aqui desdenhando da pobre coitada? Porque em vez de tê-la comprado eu poderia muito bem ter usado uma aplicativo de iPhone/iPad que toca exatamente os mesmos sons (e até mais) que teria dado na mesma. Essa ovelhinha fofa de morrer (adivinha porque eu quis porque quis comprá-la quando vi na loja?) toca quatro diferentes sons que costumam acalmar os bebês: útero, chuva, ondas e som de baleia (oi? isso mesmo. som de alguma coisa que baleia faz, não consegui identificar o que é). Só que esses mesmos sons a gente pode encontrar em vários aplicativos gratuitos, e aí é só baixar nas nossas traquitanas tecnológicas e colocar para tocar. Sem desembolsar um centavo. Eu baixei o aplicativo Relax Melodies.

4. Bolsa para carregar o carrinho do bebê:
Ah, sim! Também achei que seria ESSENCIAL ter uma bolsa para guardar o carrinho do bebê quando fossemos viajar, principalmente de avião, pois as cias aéreas não tem o mínimo cuidado com nada e iriam destruir nosso carrinho. Moral da história: nunca usei. Quer dizer, usei uma vez. Quando trouxe o carrinho dos EUA para cá. Mas para isso eu podia ter usado a caixa dele mesmo. Teria resolvido o problema e não teria me custado nada!

5. Travesseiro:
Não sei porque resolvi comprar travesseiro para o Léo (e olha que eu já sabia que era desnecessário). E também não sei porque tanta gente resolveu presentear o Léo com travesseiros (certeza foi algum amigo(a) que não tem filhos). Claro que ele tem vários e claro que não usei nenhum. Não caia nessa roubada, mesmo eles sendo baratinhos e pensando que não custa nada desembolsar mais esses reaizinhos. É jogar dinheiro fora!
PS: travesseiros anti refluxo são outra história. Esses são úteis e até imprescindíveis, em alguns casos. Aqui eu falo dos travesseirinhos normais.

6. Sapatinhos:
Gente, sapatinhos de bebês são a coisa mais fofa desse mundo (só perdem para os bebês em si). São tão lindos que eu tinha vontade de comê-los. Só que, a verdade é que a gente não usa! Não usa MESMO! Não adianta nada comprar sapatinhos para bebês até três meses de idade. Vai ser um saco de colocá-los no pezinho do bebê, eles vão se irritar com o negócio, e você vai se sentir obrigada a usá-los porque comprou. Deixe para, no lugar, investir em meias fofinhas que imitam sapatos ou tenisinhos. Ou, ainda, se for frio, prefira macacõezinhos que tem pé. (Em outro post já falei maravilhas sobre essas meinhas que simulam sapatinhos e tenisinhos. Dê uma olhada!)

7. Aspirador nasal à pilha:
Aspirador nasal é uma coisa que por si só não se usa (nunca funciona). Pois aspirador nasal a pilha é pior ainda. Claro que eu comprei isso contra a vontade do meu marido (já que quando fiz o enxoval lá fora ele não deixou eu colocar na lista) e claro que mais uma vez fui cara de pau e pedi para uma amiga trazer quando foi a vez dela viajar para fazer as compras do baby. Mas a verdade é que o maridão estava certo e eu nunca usei a traquitana. Bom, até tentei usar, mas não consegui extrair nem uminha caquinha sequer. Coloco e tiro o negócio do nariz do Léo, deixo ele surtado com o barulho, e o aparelhinho sai limpinho, do jeitinho que entrou.
Ps 1: Para limpar caquinhas do nariz eu uso a técnica ensinada pela pediatra do Léo: colocar Rinosoro de conta-gotas no narizinho do pequeno. Se precisar, colocar mais de uma vez. Dar umas apertadinhas no nariz (colocar um dedo de cada lado do narizinho e apertar-soltar-apertar-soltar) até que a caca saia. Muitas vezes, ao colocarmos o rinosoro eles já espirram e o negócio salta (nojinho) ou eles puxam ar e engolem a caquinha (nojinho 2!).
PS 2: verdade seja dita! Tenho amigas que usam esse aspirador nasal master blaster modernoso e amam de paixão o negócio. Acho que vou ter que fazer um curso intensivo com elas, para aprender a usar e sentir que não joguei dinheiro no ralo.

8. Canguru:
Ah, o canguru. Até fiquei triste quando percebi que esse item ia entrar na lista. Eu super pesquisei um canguru para comprar. Teoricamente comprei um modelo excelente e que seria muito, muito, muito usado. Escolhi até uma cor bem neutra, para combinar com todas as roupas da família. Mas quer saber? Meu marido usou duas vezes e eu nunca usei. E agora o Léo tem quase 10kg e duvido que a gente aguente carregá-lo num canguro.
Mas enfim, acho que talvez esse seja um item que não foi muito usado na minha casa. Talvez outros pais tenham aproveitado horrores (quero acreditar que sim, pois não sei porque, mas continuo acreditando no negócio!).

9. Edredon:
Aff! Eu comprei um edredon. Para combinar com a decoração do quarto do Léo. Na época nem lembro que desculpa eu achei para mim mesma para botar isso na lista. Mas a verdade é que não se usa para nada. Primeiro que bebês não dormem coberto e depois que, se for para cobrir quando ele estiver no colo ou em algum outro lugar, você irá usar um cobertor ou mantinha. Hoje o edredon lindo e maravilhoso do Léo está embaixo do lençol (do lençol de baixo, que cobre o colchão). Isso porque eu resolvi achar que o colchão do Léo é muito duro (e é mesmo, justamente para ser seguro) e que ele tinha o direito de dormir sobre algo mais fofinho. Como ele já está grandinho e já se vira, não vi risco de sufocamento nessa minha invenção. Ah! E ele parece ter gostado da ideia.

10. Saco para carregar/aquecer o bebê:
Esse nós não compramos, ganhamos. Quando minha sogra disse que iria nos dar um saquinho para clocar o Léo e mentê-lo aquecido, de plush, super fofinho e charmos, eu amei a ideia e achei que usaria horrores, já que o Léo nasceu bem no iniciozinho do frio (final de maio). Mas eu quase não usei. Tirando uma meia duzia de vezes que coloquei o Léo dentro, para ficar na cadeirinha vibratória, ele não saiu da gaveta. E para o propósito que ele foi dado, que era para manter o Léo quentinho quando saíssemos para passear, ele não foi mesmo.
Na verdade, uma mantinha ou cobertor quentinhos prestam super bem o papel desse saquinho e são ainda mais práticos. Fica a dica para quem estiver pensando em comprar um desses para seu bebê. (Sorry, sogra! Você sabe que sou sincera!)

Agora uma confissão final (momento mea culpa):
Tenho que admitir que todas as coisas que eu teimei com o meu marido que eram super essenciais eu não usei, não uso e acho que dificilmente irei usar. Então, fiquem de olho quando alguém alertá-las que algo é desnecessário e que não vale a pena o investimento. Principalmente se essa pessoa já tiver experiência no assunto (meu marido não tinha, pelo menos que eu saiba, mas pelo visto a intuição dele de pai é forte. Ou ele que é bem mãozinha fechada mesmo!)

PS: que Deus ajude e meu querido esposo não leia nunca esse post. Se não vou ouvir para o resto da vida que ele estava certo, com aquela carinha de deboche que taaaaaanto me irrita! :-)

COMENTÁRIO PÓS PUBLICAÇÃO DO POST:
Gentein… preciso fazer um adendo aqui. Um não, na verdade dois!
Depois que o post foi publicado, muita gente deixou comentários e me escreveu para dizer que não concordava com algumas coisas da lista. Nada mais mais normal! O detalhe é que quase todo mundo discordava de dois itens que eu citei. São eles:
Canguru: segundo algumas mamães (e papais também) esse item foi super, hiper, ultra usado por elas. Como eu mesma citei no post, eu até fiquei triste quando vi que esse item iria entrar na MINHA listinha de itens pouco usados. Na verdade, aqui em casa que a gente não utilizou muito, mas continuo acreditando no negócio e com certeza vou tentar usá-lo com o segundo filho. Acho uma graça as famílias andando por aí com os pequenos grudadinhos ao corpo.
Aspirador nasal: seja elétrico ou manual, muita gente comentou que usou horrores. Acho que, ou o Léo nunca teve caquinha suficiente para eu usar os aspiradores que eu tinha direito, ou eu nunca soube usar adequadamante. Enfim, em algumas casas esse também foi um item essencial.

Pronto! Agora me sinto melhor. kkkkk! Espero que fazendo esse esclarecimento final muitas mamães e papais não deixem de comprar itens que seriam super úteis para elas/eles só porque leram esse post e esses itens não foram tão úteis PARA MIM.

E agora, um presentinho extra para vocês: um vídeo com dicas valiosas para economizar no enxoval do bebê. Confiram!