Sangramento na gravidez é mais comum do que se imagina | Macetes de Mãe
sangramento na gravidez

Sangramento na gravidez é mais comum do que se imagina


16 de agosto de 2018

Quando engravidamos, esperamos sentir muitos enjoos e até certos desconfortos. Mas não esperamos sangramento na gravidez. Contudo, esse é um dos diversos sintomas que podem surgir e a gente nem imagina. Inclusive, aconteceu comigo e contei AQUI que tive sangramento na gestação do Leo e do Caê.

Segundo a Dra. Érica Mantelli, especialista em ginecologia e obstetrícia, sangramento na gravidez é mais comum do que imaginamos e nem sempre indica alguma complicação ou um problema grave que possa comprometer a nossa saúde e a do bebê. É normal acontecer um pequeno sangramento durante as primeiras semanas de gestação. Isso pode significar apenas uma acomodação do saco gestacional, estrutura que abriga o embrião no primeiro momento.

Porém, precisamos ficar atentas! Não devemos desvalorizar se ocorrer sangramento na gravidez. Geralmente, os casos mais graves, costumam ser quando ocorre uma perda em grande quantidade de sangue, acompanhados de cólicas, coágulos e/0u de cor vermelha viva. São sintomas que podem indicar problemas no colo do útero, infecções ou até mesmo um aborto.

Se surgir algum sangramento durante a gestação e isso persistir por semanas ou meses, pode ser, por exemplo, um sinal de deslocamento do saco gestacional. E o que é isso? É quando acontece um acúmulo de sangue entre o saco e a parede onde o saco estaria fixado. Isso é grave e portanto precisa de alguns cuidados, entre eles, repouso absoluto. “Neste caso, é necessário fazer um acompanhamento rigoroso, ficar em repouso ou até mesmo utilizar inibidores de contração uterina. O sangue normalmente sai aos poucos e tem uma coloração marrom escura”, ressalta a Dra. Érica Mantelli.

Leia também: sintomas da gravidez: 7 sinais que podem indicar que você será mãe 

A Dra. Mantelli explica ainda que outras causas para um sangramento anormal neste período é a placenta baixa ou prévia. Isso se dá quando a placenta instala-se próximo ao colo do útero e não na posição média. Essa situação também requer acompanhamento de perto para evitar possíveis complicações na gravidez e no parto.

Na reta final da gestação, os casos de sangramento costumam preocupar por despertarem a suspeita de um deslocamento de placenta, quadro grave que, como resultado, pode levar à hemorragia e interromper o fluxo de nutrientes e o oxigênio do bebê. Em alguns casos, é necessário realizar uma cesárea de emergência. “Também no terceiro trimestre é possível ocorrer um tipo de sangramento causado pela perda do tampão, proteção natural contra a entrada de bactérias. Isso indica que o parto está próximo. Entretanto, se confirmada essa hipótese, não é necessário correr para o hospital porque o nascimento do feto ainda pode demorar alguns dias”, ressalta a ginecologista.

Vale destacar que, por segurança da mãe e do bebê, qualquer sangramento na gravidez exige atenção. Portanto, deve ser comunicado ao médico que está acompanhando a gestação.

Fonte: esse post foi produzido com base no release enviado pela assessoria de imprensa da Dra. Érica Mantelli.

Assista também esse vídeo no Canal MdM, sobre dificuldades, medos e inseguranças na gestação:

Assista também: 10 sintomas estranhos de gravidez