Sinais de autismo em bebês | Macetes de Mãe
autismo em bebês

Sinais de autismo em bebês


4 de agosto de 2019

Tenho recebido muitos pedidos de mamães para falarmos sobre sinais de autismo em bebês. Pesquisei um pouco sobre o assunto e descobri que dos 2 aos 24 meses, os bebês dão alguns sinais. E quanto antes começar as terapias, melhor para a criança para se relacionar com o mundo. Mas as causas do autismo são ainda um mistério. Eu não posso falar a respeito e por isso convidei a Dra. Renata Haddad, pedagoga e pós-graduada em Transtorno do Espectro do Autismo para falar desse assunto.

Abaixo, você confere informações importantes e faladas de uma maneira muito simples e fácil de entender. No entanto, vale muito lembrar que cada criança é única! Portanto, cada caso também é. E que é sempre importante buscar avaliação junto ao médico da criança.

Sinais de TEA em bebês

O TEA (Transtorno do espectro do autismo) é uma condição do neurodesenvolvimento que atinge hoje uma em cada 59 crianças no mundo. Por apresentar uma heterogeneidade nos sintomas, o diagnóstico não é fácil. Porém, a maioria das crianças apresenta sinais desde muito cedo que seu desenvolvimento pode não estar de acordo com o esperado.

A precocidade do diagnóstico é um fator crucial para que uma criança que se encontra dentro do espectro do autismo tenha uma vida mais próxima do considerado adequado. Estudos apontam que a intervenção precoce aumenta consideravelmente a qualidade de vida dessas pessoas no futuro.

Abaixo listamos alguns sinais de autismo em bebês que podem mostrar se há algo de errado no desenvolvimento. Lembre-se de que cada caso é um caso! E que, portanto, as pessoas se desenvolvem diferentemente umas das outras. Porém, alguns marcos no desenvolvimento infantil precisam ser alcançados.

Alguns sinais que podem mostrar Transtorno do espectro do autismo

  • O bebê possui poucas reações emocionais: a criança está sempre quieta, parece não ligar para calor, frio, barulho ou silêncio. Pouco chora ou pouco sorri.
  • O bebê não reage quando é chamado pelo nome: muitas vezes parece que a criança não escuta, mas na verdade ela escuta perfeitamente, porém não olha quando chamam por ela.
  • O bebê não interage emocionalmente: ele não faz aquelas gracinhas de bebês como dar tchau, imitar animais, não aponta para objetos, etc.

Leia também sobre: transtorno de déficit de atenção e hiperatividade

  • O bebê não fala ou fala tardiamente: os bebês, em sua grande maioria, são barulhentos, balbuciam desde pequenos, chamam papai ou mamãe, porém a maioria das crianças autistas demora a falar ou, em alguns casos, não fala nunca.
  • O bebê tem movimentos repetitivos: esse é um sinal mais aparente em crianças entre 1 e 2 anos. Os movimentos repetitivos são uma das características mais fortes no autismo em bebês.
  • Eles podem ser caracterizados como bater as mãos, ficar se balançando, bater a cabeça em algo – como na parede, por exemplo -, entre outros movimentos.

Esses são alguns dos sinais que os pais precisam prestar atenção em seus bebês. mas existem muitos outros! O ideal é que sempre haja uma conversa entre a família e o pediatra. Portanto, é o médico quem vai indicar se há algo de errado com o desenvolvimento do seu filho.

CONHEÇA MEU LIVRO: “GRÁVIDA E PRÁTICA – UM GUIA SEM RODEIOS PARA A MÃE DE PRIMEIRA VIAGEM”:

PARA COMPRAR O LIVRO, CLIQUE:

Amazon: https://amzn.to/2S6NI8P
Livraria da Travessa: http://bit.ly/2PMLj10
Venda online com entrega em todo o Brasil