Tabagismo pode causar infertilidade? | Macetes de Mãe

Tabagismo pode causar infertilidade?

Tabagismo pode causar infertilidade?


3 de novembro de 2019

Que o o cigarro é prejudicial todo mundo já sabe. Mas você sabia que o tabagismo pode causar infertilidade?

Sabemos que o cigarro pode trazer alguns riscos para o bebê. Portanto, é aconselhável que mulheres grávidas não fumem. Mas o ideal mesmo é que nenhuma pessoa fizesse uso contínuo do cigarro.

Nesse post, produzido pelo nosso colunista Dr. Marcelo Marinho, você vai entender como o hábito de fumar pode prejudicar e causar a infertilidade.

Tabagismo pode causar infertilidade?

Muitos casais não se dão conta que o hábito de fumar diariamente pode ser a causa da infertilidade. E isso pode acontecer com o homem ou com a mulher ou com ambos. Ou seja, o cigarro pode sim interferir no resultado de quem deseja uma gestação, seja ela assistida ou espontânea.

Como definição, a infertilidade é uma condição que decorre da incapacidade do casal de engravidar após 12 meses ou mais de tentativas por relação sexual desprotegida. Essa incapacidade acomete cerca de 15% dos casais. Diversos fatores contribuem como causas de infertilidade e, dentre eles, o tabagismo, que pode alterar o ciclo reprodutivo das mulheres, assim como dos homens. Acredita-se que mais de 30% das mulheres sejam fumantes nos EUA. No Brasil, dados do Ministério da Saúde sugerem que de 10 a 15% da população brasileira tem hábito de fumar.

É consenso que o fumo tem o potencial de atrasar a concepção, aumentando o risco de infertilidade. Em 2000, importante estudo publicado em uma das maiores revistas de Reprodução, a Fertility and Sterility, demonstrou atraso do tempo para a concepção correlacionado ao número de cigarros por dia, com atraso da gravidez (mais de 12 meses de tentativa) em 54% das mulheres.

Leia também: 10 mitos e verdades sobre a infertilidade feminina

O consenso mais atual sugere haver uma relação de causa e efeito entre o fumo e os diversos parâmetros das técnicas de tratamento de reprodução e essa relação parece ser dependente da quantidade de cigarros consumidos por homens e mulheres, embora não se possa definir categoricamente o ponto de corte exato.

Outro efeito do fumo na vida das mulheres se dá na reserva folicular ovariana, ou seja, na reserva de óvulos, propriamente dita. Tanto em homens como em mulheres, a gametogênese também é afetada em graus variáveis, produzindo alterações cromossômicas e do DNA.

Como se não bastassem esses efeitos prejudiciais do fumo na fertilidade, o tabagismo também pode causar perdas gestacionais seja em gravidez espontânea como nas após tratamento especializado.

As explicações são de um lado as possíveis alterações cromossômicas dos gametas (óvulos e espermatozoides), gerando embriões com algum tipo de alteração, e de outro os efeitos vasoconstrictores, o que pode conduzir a problemas placentários, com impacto no crescimento e desenvolvimento do embrião e feto. Alguns estudos têm demonstrado ainda um prejuízo na atividade de diversas substâncias antioxidantes dos espermatozoides.

CONHEÇA MEU LIVRO: “GRÁVIDA E PRÁTICA – UM GUIA SEM RODEIOS PARA A MÃE DE PRIMEIRA VIAGEM”:

PARA COMPRAR O LIVRO, CLIQUE:

Amazon: https://amzn.to/2S6NI8P
Livraria da Travessa: http://bit.ly/2PMLj10
Venda online com entrega em todo o Brasil