Se você está grávida, deve ler esse post. Se não está, deve compartilhar com suas amigas gestantes. Aviso de utilidade pública! | Macetes de Mãe

Se você está grávida, deve ler esse post. Se não está, deve compartilhar com suas amigas gestantes. Aviso de utilidade pública!


15 de outubro de 2018

Quando a informação é importante, não custa nada a gente compartilhar de novo. Na verdade, até devemos! E é por isso que eu estou aqui novamente para falar sobre a importância da vacinação contra coqueluche entre gestantes.

Como já comentei aqui no blog, o número de gestantes vacinadas contra essa doença caiu significativamente nos últimos nos (apenas 38,4% das gestantes vacinaram-se em 2017!) e estamos bem longe da meta do governo, que é vacinar, se possível, 100% das gestantes.

E não tem desculpa para não vacinar, gente! A vacina é gratuita, a que é dada nos postos de saúde é a mesma que é dada nas clínicas particulares, ela está à disposição de toda a população. Tem que fazer!

E até por isso que eu deixo um pedido aqui: se você não está gestante, compartilhe esse post com alguma amiga, conhecida, familiar que esteja. E ajude a conscientizá-la sobre a importância dessa vacina.

E aqui um detalhe que vale muito a pena ser ressaltado: a gestante DEVE se vacinar a cada nova gestação. Ok? Não é porque tomou a vacina na gestação anterior que não precisa tomar nessa. A cada nova gestação a vacina deve ser aplicada porque é uma forma de proteger o novo bebê que está sendo gerado. Isso porque os anticorpos contra a coqueluche passam para o feto através da placenta.

Bom, mas afinal, por que é tão importante as gestantes se vacinarem?

Além de estarem se protegendo contra a doença, o segundo e talvez principal motivo é a proteção do bebê. A coqueluche é uma doença infecciosa altamente contagiosa causada pela bactéria que compromete o aparelho respiratório (traqueia e brônquios). A doença é mais perigosa em bebês menores de 2 meses de idade e é transmitida facilmente de pessoa para pessoa, principalmente através de gotículas produzidas por tosse, fala ou espirros. Como as mães são a principal fonte de infecção da coqueluche entre bebês, sendo responsável por mais de 37% dos casos, é tão importante a prevenção da mãe. Ou seja, essa é a forma mais eficaz de proteger o bebê da doença, já que a primeira dose da vacina contra a coqueluche o bebê só irá tomar aos 2 meses de idade (até lá, ele só terá anticorpos se a mãe tomar a vacina durante a gestação).

E como funciona o calendário de vacinação contra a coqueluche para gestantes?

O Calendário de Vacinação Nacional recomenda para a gestante uma dose de dTpa (Difteria, Tétano e Coqueluche Acelular) a partir da 20ª semana de gestação, a cada nova gestação. Gestantes nunca vacinadas ou que não tem certeza se já se vacinaram ou não devem fazer duas doses de dT e uma dose de dTpa. Deve-se apenas garantir que a dTpa seja feita após a 20ª semana de gestação e que o intervalo entre as doses seja de pelo menos 1 mês.

Bom, espero que esse post tenha salientado mais ainda a importância da vacinação contra a coqueluche entre gestantes. Se vocês quiserem mais informações, sugiro que confiram os outros posts que já fiz a respeito do tema (abaixo).

Como eu disse, quando a informação é importante ela deve ser repetida à exaustão. Até porque, milhares de gestantes em nosso país ainda não tomaram a vacina contra a coqueluche e é de extrema importância elas fazerem isso após a 20 semana de gestação.

A coqueluche está de volta

Como proteger o seu bebê antes mesmo de ele nascer

Toda gestante deve tomar a vacina contra a coqueluche. Você sabia disso?